Mostrando 48 resultados

descrição arquivística
Dossiê Com objeto digital
Visualização de impressão Ver:

Uma Ciência Tupiniquim?

Relata a história da ciência no Brasil através de depoimentos de cientistas das mais diversas áreas do conhecimento humano. Traz ainda entrevistas com populares que permitem uma observação sobre o imaginário social da ciência.

Chagas nos Rios Negro e Branco

Segunda parte do Projeto Revisitando a Amazônia de Carlos Chagas: da borracha à biodiversidade, o qual refaz a expedição científica de Carlos Chagas à Amazônia, de 1912, tendo como objetivo fazer uma comparação entre as condições de vida e de saúde da região, no início do século e hoje. Refaz o mesmo trajeto realizado por Carlos Chagas nos rios Negro e Branco. Entrevistando moradores das comunidades ribeirinhas, vilas e cidades e profissionais de saúde, os pesquisadores procuraram verificar as atuais condições sanitárias do médio Amazonas. Intercalando trechos do relatório da expedição de Chagas com a voz dos pesquisadores, tem-se um panorama da situação médico sanitária da Amazônia.

Hianhekhetti - Sabedoria Baniwa

Em Tunuí Cachoeira, rio Içana, lideranças indígenas avaliam 20 anos de luta dos povos Baniwa e Coripaco. O que conquistaram e as mudanças que ocorreram na sua cultura. O momento atual exige reflexão para a retomada do movimento indígena rionegrino. Em março de 2011 a Assembléia Geral Baniwa e Coripaco debatem as políticas públicas para a saúde e a educação e projetam uma nova estratégia política para o futuro do movimento.

A Tribo que se Esconde do Homem

Realizado na década de 1960, este documentário mostra o esforço dos irmãos Villas Bôas com a ajuda de índios de diferentes etnias, para contatar os índios isolados Panará, conhecidos como Kreen-Akarore. A abertura de uma estrada, perto do território Kreen-Akarore, ameaça sua sobrevivência. Na opinião dos sertanistas, a melhor opção para estes índios é levá-los para o Parque do Xingu antes que a estrada chegue, trazendo todos os males da nossa civilização.

Ficha Técnica

Direção: Adrian Cowell
Produção: ATV
Co-produção: Cláudio e Orlando Villas Boas
Câmeras: Chris Menges / Jesco von Puttkamer / Richard Stanley / Charles Stewart/ Ernest Vincze
Som: Gareth Haywood / Bruce White / Mike Billing
Edição: Adrian Cowell / Keith Miller
Produtor Associado: ATV
Editor de Fotografia: Adrian Cowell
Distribuição no Brasil: Pontifícia Universidade Católica de Goiás/ Família Orlando Villas Bôas

Equipe de Restauração 2008:
Produção: Stella Oswaldo Cruz Penido
Imagem: Joana Collier
Som: Aurélio Dias/ Maria Byington
Transcrição de som: CTAV/ SAV/ MinCDiretor: Adrian Cowel

Na Trilha dos Uru Eu Wau Wau (The Search for the Kidnappers)

Mostra o primeiro contato com os índios Uru Eu Wau Wau, pressionados pelo desenvolvimento em Rondônia que atraía cada vez mais lavradores do sul do país para o estado. Impulsionados a penetrarem na floresta, os colonos se aproximavam cada vez mais desta tribo.

Nesta conjuntura, o rapto de uma criança branca pelos Uru Eu Wau Wau aumenta o rancor dos colonizadores contra os índios, vistos como uma barreira ao desenvolvimento. Paralelamente, a Funai organiza uma expedição para contatá-los, com o objetivo de protegê-los do avanço dos brancos sobre seu território

Ficha Técnica

Direção: Adrian Cowell / Vicente Rios
Produção: Central Independent Television
Co-produção: Universidade Católica de Goiás
Câmeras: Vicente Rios / Auro Luz
Som: Nélio Rios / Albert Bailly / Godfrey Kirly / Vanderlei de Castro / Clive Pendry / Stephen Bray
Adaptação para versão brasileira: Verbo Filmes
Distribuição no Brasil: Pontifícia Universidade Católica de Goiás

O Destino dos Uru Eu Wau Wau

Três décadas depois de "Na Trilha dos Uru Eu Wau Wau", Adrian Cowell reencontra alguns dos personagens deste filme. Descobrimos que o líder Tari, que raptou a criança branca em "Na Trilha dos Uru Eu Wau Wau" teve sua própria irmã raptada por brancos quando tinha seis anos. O filme proporciona um encontro inesperado entre irmãos indígenas e nos mostra como os Uru Eu Wau Wau puderam lidar com as transformações em seu mundo ao longo dessas décadas.

Arqueologia Brasileira

As pesquisas arqueológicas no Brasil abordada a partir de depoimentos de arqueólogos brasileiros e as novas teorias da chegada do homem a América, os principais sítios arqueológicos brasileiros, os Sambaquis, as técnicas de escavações e a participação de arqueólogos mirins nas atividades em sítios arqueológicos.

Oswaldo Cruz na Amazônia

Documentário histórico que resgata as viagens de Oswaldo Cruz à Amazônia. Após implantar as campanhas sanitárias no Rio de Janeiro, Oswaldo Cruz realizou, em 1905, viagem de inspeção sanitária aos portos do norte do Brasil, entrando no Amazonas até Manaus. Em 1910, voltou ao Pará para realizar campanha contra febre amarela em Belém. No mesmo ano, visitou Porto Velho e as obras de construção da estrada de ferro Madeira- Mamoré, estabelecendo um plano de combate à malária na região. O vídeo mostra filmes, fotografias, caricaturas, cartas e relatórios de Oswaldo Cruz. Quase um século depois, uma equipe de pesquisadores da Casa de Oswaldo Cruz refaz seu percurso na Amazônia.

Fé Eterna na Ciência

Documentário sobre o médico, poeta e pesquisador Luiz Fernando Ferreira, da Fiocruz. Criou a Paleoparasitologia, ciência que estuda parasitas em material arqueológico. Neste documentário nos relata sua trajetória de pesquisas e aventuras.

O Coração da Floresta ( The Heart of the Forest)

O primeiro filme da série apresenta o trabalho dos irmãos Villas Bôas no início do Parque Indígena do Xingu. Os sertanistas buscam atrair povos indígenas para o interior do Parque com o objetivo de proteger sua cultura e os próprios indígenas das ameaças causadas pelo avanço da nossa civilização. Os povos do Xingu fugiram para esta região vindos de todos os quadrantes da América do Sul. Ali se refugiam dos brancos. Esse filme revela a importância que têm a terra e os rituais para a sobrevivência destes povos que se sentem ameaçados porque suas terras estão sendo compradas por especuladores. Para os índios a terra é amiga, personalizada em seres míticos e espíritos que são os donos das dádivas da vida: seja para a mandioca ou para a cobertura da casa, o índio depende da natureza e espiritualmente se prende a rituais. Ninguém pode ver onde os espíritos vivem, mas todo índio sabe que estão embaixo d’água, dançando. Os rituais são o fundamento da vida indígena.

Ficha Técnica
Câmera: Louis Wolfers
Filmagem adicional: Jesco von Puttkamer
Som: Robert Saunders
Edição: Larry Toft
Produção: Harry Hastings
Série: Adventure
Realização: David Attenborough
BBC TV

Caminho para Extinção

Filme realizado em 1960 na região do Alto rio Xingu, um ano antes da criação do Parque Nacional do Xingu pelo governo brasileiro. Nesta época as florestas intactas do norte do Mato Grosso adquiriram valor especulativo, na forma de títulos de terra, revendidos no mercado mundial. Os grupos indígenas da região nada ganhavam com a valorização da terra - para eles a terra é a mãe que nunca morre, aquela que provê subsistência e cura, um santuário essencial para a vida. Os sertanistas Orlando e Cláudio Villas Boas, e o SPI (Serviço de Proteção aos Índios), trabalhavam para atrair para o Parque Indígena grupos ainda não contatados e fortemente ameaçados pelo avanço das violentas frentes pioneiras na região do Brasil Central.

Ficha Técnica:
Câmera: Louis Wolfers
Filmagem adicional: Jesco von Puttkamer
Som: Robert Saunders
Edição: Larry Toft
Produção: Harry Hastings
Série: Adventure
Realização: David Attenborough
BBC TV

Os Filhos de Santo

Os rituais da umbanda eram os cultos que mais cresciam no Brasil na década de 1960. O filme se concentra em terreiros de umbanda nos subúrbios e favelas de Recife, onde os escravos libertos, sobretudo dos canaviais, se tornaram donos de tendas. Vemos nos rituais as oferendas e os sacrifícios para os deuses e deusas africanos que no Brasil são também reverenciados como santos cristãos: Ogum como São Jorge e Iemanjá como Maria, mãe de Cristo. O filme aborda a vida dos médiuns, sua formação como Pais de Santo e a legalização dos terreiros de umbanda. Na vida da cidade, a influência do ritmo africano na musicalidade brasileira esta presente nas festas populares.

O Destino do Coronel Fawcett

Em 29 de maio de 1925, o coronel Percy Fawcett entrou na selva amazônica e desapareceu misteriosamente. O objetivo da sua viagem era achar, escondida na floresta, a cidade fundada pelos refugiados da antiga Atlântida. Neste filme, o diretor Adrian Cowell é repórter numa viagem investigativa. Partindo de Cuiabá, visita os locais onde possivelmente Fawcett teria passado. No Brasil, entrevista personagens que tiveram contato com o explorador inglês e sua equipe. Entrevista também intelectuais brasileiros que têm conhecimento das inúmeras e frustradas expedições de resgate em busca de vestígios que trouxessem alguma verdade sobre o desaparecimento do coronel. O filme foi rodado em 1960, e nos 50 anos seguintes, as áreas ao redor do local onde Fawcett e sua equipe desapareceram foi desmatada e atravessada por estradas. Não surgiu evidência nova para esclarecer o mistério.

O Reinado na Floresta

O olhar de Adrian Cowell sobre o trabalho dos irmãos Cláudio e Orlando Villas Bôas no Parque Indígena do Xingu. Suas crenças, a influência que tiveram junto aos índios e os problemas enfrentados com as frentes de expansão que abriam estradas no Brasil Central. A preocupação dos sertanistas é de que os indígenas possam viver uma transição sutil ao mundo civilizado.

Ficha Técnica
Direção: Adrian Cowell
Produção: ATV
Co-produção: Cláudio e Orlando Villas Boas
Câmeras: Chris Menges / Jesco von Puttkamer / Richard Stanley / Charles Stewart/ Ernest Vincze
Som: Gareth Haywood / Bruce White / Mike Billing
Produtor Associado: ATV
Editor de Fotografia: Adrian Cowell
Distribuição no Brasil: Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Chico Mendes - Eu Quero Viver (Chico – I want to live)

Mostra a trajetória de Chico Mendes, líder seringueiro no Acre, em defesa da Amazônia. Com registros feitos entre 1985 e 1988, acompanhamos Chico Mendes na organização dos seringueiros em defesa da floresta, no nascimento da Aliança dos Povos da Floresta, e na luta pela demarcação das primeiras reservas extrativistas na Amazônia. O filme mostra, ainda, a trama armada para seu assassinato e as repercussões no Brasil e no mundo.

Ficha Técnica

Direção: Adrian Cowell
Produtor Executivo: Roger James – Central Independent Television – Londres
Produtor associado: Vicente Rios (Brasil) e Morrow Cater (Washington)
Co-produção: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Edição: Chris Christophe / Terry Twigg / Andrew Mason
Câmeras: Vicente Rios / Auro Luz
Som: Nélio Rios / Rafael de Carvalho / Vanderlei de Castro / Stephen Bray
Fotografia Adicional: John Gordon / Greg Kelly
Adaptação para versão brasileira: Verbo Filmes
Distribuição no Brasil: Pontifícia Universidade Católica de Goiás

O Sonho do Chico (Chico's Dream)

Mostra como Marina Silva, antiga companheira política de Chico Mendes no Acre, pretende, como ministra do Meio Ambiente, levar adiante os ideais do líder seringueiro, atuando em defesa da Amazônia.

Ficha Técnica

Direção: Adrian Cowell
Produção: Vicente Rios
Co-produção: PUC GO / Mário Arruda
Produtor Executivo: Roger James
Câmera: Vicente Rios
Som: Vanderlei de Castro / Nélio Rios
Edição: Terry Twigg / Chris Christophe / Andrew Mason
Produtor Associado: Morrow Cater
Adaptação: Verbo Filmes
Fotografia Adicional: John Gordon / Greg Kelly
Mixagem e Dublagem: Francisco Borges
Distribuição no Brasil: Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Visões da Floresta

O filme dirigido por Vicente Rios, com 25 minutos, traz imagens da chegada do acervo de filmes doado por Adrian Cowell à PUC-Goías , Goiânia. (Projeto Histórias da Amazônia – 50 anos de memória audiovisual em parceria com a Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz)
Depoimento de Adrian Cowell, narração off Vicente Rios. Produção PUC Goiás
Imagens: Parque Indígena do Xingu (A Tribo que se Esconde do Homen), Serra Pelada (Montanhas de Ouro), a chegada de colonos em Rondônia vindos do Rio Grande do Sul (Na Trilha dos Uru Eu Wau Wau). Imagens de Chico Mendes, Marina Silva e Presidente Luiz InácioLula da Silva no Acre (Tucuruí- Chico Mendes)
Neste filme, depoimentos de Adrian Cowell; depoimento de Orlando Villas Boas que conta como conheceu Adrian Cowell quando este chegou ao Brasil com a Expedição de estudantes de Cambridge; técnicos do IGPA (Instituto Goiano de Pre História e Antropologia, PUC-GO) organizam o acervo fílmico; Adrian relata como aprendeu a caçar com os índios, o que representava a floresta quando chegou aqui em 1958 e hoje; e que aprendeu com os irmãos Villas Boas a técnica de fazer contato com índios isolados

Evento PUC Gôiania

Evento comemorativo do lançamento da página da WEB imagensamazonia.pucgoias.edu.br/oacervo.html, descerramento da placa dos apoios institucionais para o Projeto Histórias da Amazônia na PUC de Goiás. Participação de representantes da Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, do Reitor da PUC de Goiás, de profissionais do IGPA (Instituto Goiano de Pré-história e Antropologia). Formação de mesa, com Adrian Cowell, Stella Oswaldo Cruz Penido, Eugênia.

O Caminho do Fogo (The Blazing of the Trial)

Filme sobre os colonos que estavam se estabelecendo no território dos Uru Eu Wau Wau. Os índios foram dizimados por epidemias e 60 - 80% deles morreram até o final da década de 1980. Contudo, para os colonos, não foi muito melhor. O solo ali era tão ruim que, após seis anos, 60% da terra que eles haviam desmatado e plantado, com tanto entusiasmo, já tinha sido abandonada.

Ficha Técnica

Direção: Adrian Cowell, Vicente Rios
Produção: Central Independent Television
Co-produção: UCG
Câmeras: Vicente Rios, Auro Luz (Asst.), Cris Cox, Pasco Macfarlane, Jimmy Dibling
Som: Nélio Rios, Albert Bailly, Godfrey Kirly, Vanderlei de Castro, Clive Pendry, Stephen Bray
Distribuição no Brasil: Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Saúde no Vale das Plantas Medicinais

Registra a viagem de um grupo de pesquisadores da Fiocruz que refez, em 1991, parte do trajeto realizado por Carlos Chagas em 1912. Com depoimentos de doentes, de profissionais da área de saúde e de populares, o vídeo mostra as condições médico-sanitárias das populações ribeirinhas do Amazonas e de índios e seringueiros do vale do rio Juruá, onde ainda grassam as mesmas doenças anotadas por Carlos Chagas. Mostra ainda a extração da borracha como atividade quase abandonada e as novas possibilidades econômicas, como a extração de petróleo e gás natural cuja exploração e afetada pela incidência de doença, entre as quais a malária, a leishmaniose, a hepatite, a hanseníase e as verminoses.

Chagas na Amazônia

Primeira parte do Projeto Revisitando a Amazônia de Carlos Chagas: da borracha à biodiversidade, o qual refaz a expedição científica de Carlos Chagas à Amazônia, de 1912, tendo como objetivo fazer uma comparação entre as condições de vida e de saúde da região, no início do século e hoje. Aqui são visitados os rios Juruá, Tarauacá e Solimões.

Cinematógrafo Brasileiro em Dresden

Com imagens de época e entrevistas com pesquisadores de história da saúde e do cinema, o documentário resgata dois filmes exibidos em 1911 no pavilhão brasileiro da Exposição Internacional de Higiene realizada em Dresden, Alemanha. Tematizando o combate à febre amarela no Rio de Janeiro e a recém descoberta doença de Chagas em Lassance, Minas Gerais, são os primeiros filmes científicos brasileiros conhecidos, marcando o pioneirismo do Brasil e do Instituto Oswaldo Cruz na utilização de imagens em movimento na comunicação e informação em saúde.

Chagas no Acre e Purus

Terceira parte do projeto Revisitando a Amazônia de Carlos Chagas: da borracha à biodiversidade, o qual refaz a expedição científica de Carlos Chagas à Amazônia, de 1912, tendo como objetivo fazer uma comparação entre as condições de vida e de saúde da região, no início do século e hoje. Neste documentário são visitadas as populações ribeirinhas dos rios Acre e Purus.

Carnaval da Violência

Filmado nos arredores do lago Titicaca em 1960. Este carnaval é o maior festival no planalto dos Andes. Em centenas de vilas camponesas as pessoas dançam por semanas celebrando suas colheitas. O carnaval hoje é diferente dos festivais dos ancestrais incas. Antes, cada família tinha terra suficiente para o seu sustento. Hoje a maior parte das terras indígenas foi tomada. Os índios dos Andes resistiram por séculos aos conquistadores espanhóis. Do lado peruano do lago Titicaca, Puno é a cidade-mercado dos índios Aymara, o centro de troca de notícias com a Bolívia. Há dez anos os índios na Bolívia se revoltaram e dividiram entre eles as terras dos grandes fazendeiros. Vemos as pichações nas paredes. Os agitadores comunistas e suas armas cruzam a fronteira. Há outra solução a não ser revolução? Em Lima, todo ano, 30 mil índios incham as favelas. Ruas cheias de lixo. Aqui o índio ganha dez vezes mais que nas montanhas. É triste perceber que depois de quatro séculos de contato com a nossa civilização, essas favelas são as suas melhores oportunidades de sobrevivência.

Ficha Técnica
Câmera: Louis Wolfers
Som: Robert Saunders
Edição: Larry Toft
Produção: Harry Hastings
Série: Adventure
Realização: David Attenborough
BBC TV

Nas Cinzas da Floresta (In The Ashes of The Forest)

A partir da construção da BR-364, em Rondônia, e da ‘estrada de penetração’ 462, o filme traça um panorama abrangente, apresentado por José Lutzemberger, de como a política do governo brasileiro para ocupação da Amazônia na década de 1980, levou à degradação de enormes áreas de floresta nesse estado.

Ficha Técnica

Direção: Adrian Cowell
Produção: TV Central de Londres
Co-produção: Universidade Católica de Goiás
Câmeras: Vicente Rios / Auro Luz
Som: Nélio Rios / Albert Bailey / Godfrey Kirly / Vanderlei de Castro / Clive Pendry / Stephen Bray
Adaptação para versão brasileira: Verbo Filmes
Distribuição no Brasil: Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Tempestades da Amazônia (The Storms of the Amazon)

Enfoca a tese de doutoramento do Dr. Eneás Sallati, (ex-diretor do Inpa) discorrendo sobre as questões climáticas da floresta amazônica. Busca saber se a floresta é conseqüência do clima ou o clima é conseqüência da floresta. Ele explica como a floresta gera 50% de sua própria chuva. Isto significa que o desmatamento não somente reduzirá a quantidade de chuvas da Amazônia, mas também da região central do Brasil.

Ficha Técnica

Agradecimentos: Centro de Energia Nuclear na Agricultura, Instituto Nacional de Pesquisas na Amazônia, Instituto de Pesquisas Espaciais
Imagens: Jimmy Bailey, Vanderlei de Castro, Jodfrey Kirby
Montagem: Chris Christophe
Co-produtores: Mário Arruda, Vicente Rios
Produtor: Roger James
Diretor: Adrian Cowell
Distribuição no Brasil: Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Tucuruí - Chico Mendes

Material Bruto telecinado a partir de negativos 16 mm subdivididos em quatro assuntos:

Chico Mendes - Campanha Política 1986
A seleção de registros da campanha de Chico Mendes para deputado estadual pelo PT do Acre em 1986 é a maior deste dossiê. Registros de showmícios, discursos, carreatas, votação, apuração e entrevistas com o candidato. Entrevista com Nabor Teles da Rocha Jr, ex-governador do Acre; gado, tratores abrindo a BR 364.
Essas imagens não editadas da Campanha de Chico Mendes foram sincronizadas no DAD/COC (Alexandra Carias).

Chico Mendes - Entrevista no Seringal
Imagens de Chico Mendes cortando Seringa e entrevista; entrevista de Chico Mendes num tapiri (escola) em um seringal; imagens de Marina Silva explicando a pirâmide social no quadro negro para um público adulto; Chico Mendes discursa em palanque num showmício; grupo de seringueiros trazem suas pelas (bolas de látex|) para vender.

Chico Mendes e Marina Silva
No Seringal Santa Isabel grande número de pessoas em pé, escutam Chico Mendes e Marina Silva; Chico Mendes dá entrevista numa canoa, Marina Silva lanchando ao fundo.

Chico Mendes – 1º Encontro Conselho Nacional de Seringueiros 1985
Reunião do 1º Encontro do Conselho Nacional de Seringueiros, Brasília, outubro de 1985, onde foi criado o Conselho Nacional dos Seringueiros (CNS). Deste encontro saiu a proposta de uma aliança dos seringueiros com os índios amazônicos, o que levou o governo a criar reservas florestais para a colheita não-predatória de matérias-primas como o látex e a castanha do pará, através da criação de Reservas Extrativistas.

Resultados 1 a 30 de 48