Fundo WF - Wilson Fadul

Open original objeto digital

Área de identificação

Código de referência

BR RJCOC WF

Título

Wilson Fadul

Data(s)

  • 1910-2012 (Produção)

nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Documentos textuais: 1,96 m
Documentos iconográficos: 1.233 itens (1.125 fotografias, 62 fotogramas de negativos flexíveis, 2 folhas de cópias-contato com 41 fotogramas, 4 imagens impressas e 1 monóculo fotográfico)
Documentos tridimensionais: 22 itens (16 medalhas, 3 placas, 2 troféus e 1 brasão)

Área de contextualização

Nome do produtor

(1920-2011)

Biografia

Nasceu em 4 de fevereiro de 1920, na cidade de Valença (RJ), filho de André e Angelita Fadul. Formou-se pela Faculdade Fluminense de Medicina, atual Universidade Federal Fluminense, em 1945. No ano seguinte ingressou por concurso na Aeronáutica como segundo-tenente médico, tendo sido designado para servir em Campo Grande (MT). Em 1950 iniciou nessa cidade sua carreira política, quando foi eleito vereador pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), legenda pela qual sempre se elegeu. Em 1952 tornou-se presidente da Câmara Municipal e no ano seguinte venceu as eleições para a Prefeitura de Campo Grande, após o assassinato do prefeito Ary Coelho de Oliveira em evento político do PTB na cidade de Cuiabá. Em 1954 foi eleito deputado federal por Mato Grosso, sendo reeleito nos anos de 1958 e 1962. Na Câmara dos Deputados atuou como primeiro-secretário da Mesa Diretora em 1957 e também membro de comissões permanentes e comissões parlamentares de inquérito. No ano de 1960 candidatou-se ao cargo de governador do estado, mas ficou em segundo lugar, sendo derrotado por Fernando Corrêa da Costa, candidato da União Democrática Nacional. Em 1963 se licenciou da Câmara dos Deputados para assumir o Ministério da Saúde no governo do presidente João Goulart. Durante a sua gestão foi realizada uma pesquisa sobre a indústria farmacêutica no país, que revelou enorme desnacionalização do setor. Com esses dados, o governo federal criou o Grupo Executivo da Indústria Farmacêutica Nacional, cujo objetivo era defender a indústria brasileira de medicamentos. Ainda como ministro convocou a III Conferência Nacional de Saúde, realizada em 1963 na Academia Nacional de Medicina, no Rio de Janeiro, com o objetivo de fixar as bases de uma política nacional de saúde, bem como chefiou a delegação brasileira presente na XVII Assembléia Mundial de Saúde, promovida pela Organização Mundial da Saúde, em Genebra (Suíça), em março de 1964. Após o golpe militar ocorrido ainda em março de 1964, que encerrou o governo de João Goulart, foi demitido do Ministério da Saúde e voltou à Câmara dos Deputados. Em junho teve o mandato cassado e os direitos políticos suspensos por dez anos pelo Ato Institucional n. 1. Com a edição do Ato Institucional n. 5 em 1968 seguiu para a França. Em 2012, após a sua morte, a Câmara dos Deputados realizou uma cerimônia para devolver simbolicamente os mandatos aos deputados federais cassados. No final da década de 1970, com a aprovação da Anistia, retornou ao Brasil e foi um dos fundadores do Partido Democrático Trabalhista liderado por Leonel Brizola. Concorreu ao governo de Mato Grosso do Sul em 1982, mas não obteve sucesso no pleito. De volta ao Rio de Janeiro atuou como vice-presidente e presidente do Banco do Estado do Rio de Janeiro durante os governos de Leonel Brizola no Rio de Janeiro nas décadas de 1980 e 1990. Em 2011 foi homenageado pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul com a instituição da Comenda do Mérito do Trabalho Ministro Wilson Fadul. Morreu em 18 de outubro de 2011, no Rio de Janeiro.

História arquivística

Após a morte do titular, um de seus filhos manteve a posse dos documentos reunidos em vida por Wilson Fadul. Posteriormente, gestores da Fundação Oswaldo Cruz realizaram contatos com a família a fim de proceder a doação do arquivo. Uma equipe de profissionais do Departamento de Arquivo e Documentação realizou visitas técnicas ao local onde estavam depositados os documentos para avaliar sua pertinência temática e condições físicas. Em novembro de 2011 a doação do arquivo foi formalizada e realizada a transferência para a Casa de Oswaldo Cruz.

Procedência

Doação do filho do titular, Wilson Fadul Filho, em novembro de 2011.

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Reúne cartas, anais de eventos, apontamentos, artigos, bilhetes, cartas, cartões-postais, certidões de transcrição de processos, certificados, comunicações em eventos, cópias-contato, discursos, ensaios, folhetos, fotografias, imagens impressas, informativos, lista de aparelhos, medalhas, nomeações, notas de esclarecimento, ofícios, panfletos, periódicos, placas, processos, projetos, publicações, recibos de pagamento, recortes de jornais e revistas, relatórios, telegramas e troféus, entre outros documentos referentes à vida pessoal e à trajetória profissional e política do titular como médico, prefeito municipal de Campo Grande (MS), deputado federal, ministro da Saúde e gestor de instituição financeira.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Grupo Vida Pessoal
Grupo Formação e Administração da Carreira
Grupo Gestão Institucional
Grupo Relações Interinstitucionais e Intergrupos

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Com restrição no dossiê Títulos de Eleitor (WF-FC-PP-27). Documentos sigilosos conforme lei n. 8.159, de 8 de janeiro de 1991.

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

  • árabe
  • espanhol
  • francês
  • inglês
  • polonês
  • português
  • servo-croata

Forma de escrita do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Casa de Oswaldo Cruz. Departamento de Arquivo e Documentação. Fundo Wilson Fadul: inventário. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2017.

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Notação anterior

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ponto de acesso - nome

Pontos de acesso de género

Área de controle da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. NOBRADE: norma brasileira de descrição arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2006.

Status da descrição

Final

nível de detalhamento

Integral

Datas de criação, revisão, eliminação

outubro de 2017 (criação)

Fontes utilizadas na descrição

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IMPRENSA. Morre no Rio o ex-ministro Wilson Fadul. Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: http://www.abi.org.br/morre-no-rio-o-ex-ministro-wilson-fadul. Acesso em: 20 set. 2017.
BRASIL. Câmara dos Deputados. Wilson Fadul: biografia. Disponível em: https://www.camara.leg.br/deputados/131137/biografia. Acesso em: 18 set. 2017.
FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Fadul, Wilson. Disponível em: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-biografico/fadul-wilson. Acesso em: 20 set. 2017.

Nota do arquivista

Equipe: Carlos Raphael Oliveira do Rego, Felipe Almeida Vieira, Francisco dos Santos Lourenço e Gabriel da Silva Rodrigues.

objeto digital (Master) zona de direitos

objeto digital (Referência) zona de direitos

objeto digital (Visualização) zona de direitos

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Entidades coletivas, pessoas ou famílias relacionadas

Géneros relacionados

Lugares relacionados