Serviço Nacional de Febre Amarela

Área de identificação

Tipo de entidade

Entidade coletiva

Forma autorizada do nome

Serviço Nacional de Febre Amarela

Forma(s) paralela(s) de nome

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) do nome

identificadores para entidades coletivas

Área de descrição

Datas de existência

1940-1956

História

O decreto-lei nº 1.975, de 23 de janeiro de 1940, alterou a denominação do Serviço de Febre Amarela, que esteve a cargo da Fundação Rockefeller até 31 de dezembro de 1939, para Serviço Nacional de Febre Amarela (SNFA), subordinado ao Ministério da Educação e Saúde. Ao serviço coube realizar a profilaxia da febre amarela mediante a prática de medidas adequadas a esse fim, especialmente as ações de vacinação, viscerotomia e exterminação dos mosquitos vetores. Em 1956, pela lei nº 2.743, de 6 de março, o SNFA foi absorvido pelo Departamento Nacional de Endemias Rurais, que teve como atribuições organizar e executar as tarefas de investigação e promover o combate à malária, leishmaniose, doença de Chagas, peste, brucelose, febre amarela, esquistossomose, ancilostomose, filariose, hidatidose, bócio endêmico, bouba, tracoma e outras endemias existentes em todo o território brasileiro.

Locais

Status legal

Funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

Contexto geral

Área de relacionamento

Área de controle da descrição

Identificador do registro de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status da descrição

nível de detalhamento

Datas das descrições (criação, revisão e remoção)

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Notas de manutenção