Item 24 - Pedrina Cunha de Oliveira

Área de identificação

Código de referência

BR RJCOC 05-05-02-01-24

Título

Pedrina Cunha de Oliveira

Data(s)

  • 1989 (Produção)

nível de descrição

Item

Dimensão e suporte

Documentos sonoros: 3 fitas cassete e 3 CD's (3h; cópia digital)

Área de contextualização

Nome do produtor

História arquivística

Entrevista realizada por Lúcio Flávio Taveira e Rose Ingrid Goldschmidt, na Fiocruz, no dia 06 de junho de 1989.

Procedência

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Sumário: fitas 1 a 3
Origem familiar; o perfil do pai; a infância em uma fazenda em Goiás; a personalidade da mãe; as dificuldades de comunicação no interior do Brasil na década de 1940; a educação familiar voltada para o trabalho; a ausência de preconceito na educação informal; a igualdade no trato com os trabalhadores da fazenda; os papéis sociais do homem e da mulher no interior brasileiro em meados do século XIX; o espaço doméstico como locus feminino; a profissionalização como caminho para a emancipação; a generosidade característica da educação materna; os papéis familiares: a mãe educadora e pai provedor; a população “encardida” de Goiás; os primeiros estudos realizados na comunidade local; o ingresso no colégio interno feminino; a rígida disciplina de uma instituição religiosa; o cotidiano no internato; a “disciplinarização” do diálogo e a preocupação com a higiene na escola; a vigilância do corpo nos banhos no internato; a preocupação das freiras com a educação humanitária; a censura à literatura; o ingresso em colégio leigo de Goiânia; a liberdade na escolha profissional; a opção pelo curso de farmácia; o desejo inicial de retornar a Goiás após a graduação; a fascinação pelo trabalho laboratorial; o curso de farmácia da UFRJ na década de 1950; a ausência de preconceito sexual na faculdade; as qualidades da Faculdade de Farmácia da UFRJ; a opção por não retornar a Goiás e o primeiro contato com o IOC; o ingresso em Manguinhos como estagiária e o trabalho desenvolvido com Oswaldo Lazzarini Peckolt no Departamento de Química; a rápida efetivação no IOC; os trabalhos realizados com Fernando Ubatuba nos laboratórios das Pioneiras Sociais e o seu abandono devido ao trabalho no IOC em tempo integral; o preconceito em Manguinhos pelo trabalho feminino; a admiração por Bertha Lutz; a mudança para o Departamento de Micologia; o Curso de Aplicação do IOC; o corpo de pesquisadores do Departamento de Micologia na década de 1960; a qualificação profissional de Adolpho Furtado e sua marginalização em Manguinhos; as dificuldades dos pesquisadores do IOC em optarem pelo regime celetista na década de 70; o casamento em 1970 e a experiência da maternidade; a opção pela família no momento de crise do IOC; as dificuldades em conciliar vida privada e vida profissional; o intercâmbio com o Instituto de Biologia de São Paulo; histórico do desenvolvimento da micologia no Brasil desde a década de 50; a demanda de conhecimento da micologia provocada pelo desenvolvimento tecnológico dos últimos anos; a trajetória profissional no Departamento de Micologia; a situação da mulher nas instituições científicas internacionais; a experiência adquirida no mestrado realizado na Universidade de Sheffield; a conscientização feminina na Inglaterra; os grandes nomes da micologia brasileira: Antônio Arêa-Leão e Adolpho Furtado; a organização do Departamento de Micologia a partir da gestão Coura e a demanda de conhecimento dos setores agrícola e industrial do Brasil.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Transcrição e sumário

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Sem restrição

Condições de reprodução

Sem restrição

Idioma do material

Forma de escrita do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Nota

Resenha biográfica
Pedrina Cunha de Oliveira nasceu em 1934, na cidade de Santa Cruz, em Goiás, onde realizou seus primeiros estudos. Em 1955, ingressou na Faculdade Nacional de Farmácia da Universidade do Brasil, atual UFRJ. Graduada por essa universidade, especializou-se em laboratório de saúde pública. Em 1960, por intermédio de Oswaldo Lazzarini Peckolt, ingressou no Instituto Oswaldo Cruz (IOC) como estagiária da seção de ensaios biológicos e controle da Divisão de Química. A partir de 1961 passou a trabalhar no Centro de Pesquisa Gomes de Lemos, das Pioneiras Sociais, sob a orientação do professor Fernando Ubatuba. Em 1962, fez o curso promovido pelo Departamento de Administração do Serviço Público (DASP), para ingressar no Instituto de Assistência e Previdência dos Comerciários, onde trabalhou durante um ano, quando foi promovida a biologista do IOC em tempo integral. Nesse mesmo ano, foi solicitada por Arêa Leão para trabalhar na seção de micologia do Departamento de Microbiologia e Imunologia do IOC. Para assumir essa nova atividade, fez o Curso de Aplicação do IOC, a fim de especializar-se em Micologia. Em 1966, iniciou suas atividades docentes, ministrando aulas de micologia no Curso de Aplicação do IOC e na Faculdade de Farmácia da UFRJ. Em 1967, ingressou na Universidade de Sheffield, em Londres, cursando o mestrando até 1969, quando recebeu o título master of science pela tese “A study of aspects of heterokaryosis in Aspergillus nidulans”. Retornou ao IOC, em 1969, para iniciar a montagem do laboratório de genética do Aspergillus nidulans. De 1970 a 1975, exerceu a função de chefe eventual da seção de micologia, período em que também coordenou e ministrou o Curso de Iniciação à Pesquisa Biológica na Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP). Em 1976, assumiu a livre-docência em Micologia, na Universidade Federal Fluminense (UFF). A partir de 1978, foi chefe efetiva do Departamento de Micologia do IOC, dedicando-se à pesquisa genética do Aspergillus nidulans. Pedrina da Cunha Oliveira aposentou-se em fevereiro de 1995.

Notação anterior

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Pontos de acesso de género

Área de controle da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status da descrição

nível de detalhamento

Datas de criação, revisão, eliminação

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Entidades coletivas, pessoas ou famílias relacionadas

Géneros relacionados

Lugares relacionados