Paulo Duarte de Carvalho Amarante

Área de identificação

Tipo de entidade

Pessoa

Forma autorizada do nome

Paulo Duarte de Carvalho Amarante

Forma(s) paralela(s) de nome

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) do nome

identificadores para entidades coletivas

Área de descrição

Datas de existência

1952-

História

Nasceu em Colatina, norte do Espírito Santo em 31 de agosto de 1952. Iniciou sua formação escolar no Colégio Marista, indo morar com os pais em Vila Velha em 1968, aos 16 anos, onde terminou o curso científico. Nessa época organizou um clube de astronomia amadora entre os colegas do colégio, estudando também literatura e filosofia. Com grande talento musical, por um momento ficou em dúvida sobre qual carreira profissional seguir. Optou pela Medicina e se formou em 1976, na Escola de Medicina da Santa Casa de Misericórdia de Vitória, EMESCAM. No quarto ano da faculdade, foi acadêmico plantonista do Hospital Colônia Adauto Botelho em Cariacica, Espírito Santo. Veio para o Rio de Janeiro em 1976, fazer a residência no Internato em Psiquiatria, na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Participou do primeiro curso de musicoterapia no Rio de Janeiro com Rolando Beneson e tentou implantar mais tarde esta técnica no Hospital Adauto Botelho e no Instituto Psiquiatria da Universidade do Brasil, IPUB, da UFRJ. Em 1978, ingressou para o Mestrado no Instituto de Medicina Social, na UERJ, onde defendeu a dissertação “Psiquiatria social e colônias de alienados no Brasil”. Em 1982, trabalhou com Paulo Mariz como Assessor do Diretor da DINSAM (Divisão Nacional de Saúde Mental), cuja autonomia administrativa o possibilitou fazer muitas modificações no CPPII, Centro Psiquiátrico Pedro II, tais como concurso para preenchimento do quadro de funcionários, entre especialistas e técnicos. Tais mudanças geraram muita resistência por parte dos funcionários daquela instituição. Realizou um vídeo chamado “CRONIKÓS” denunciando a internação compulsória de um dos pacientes no IPUB, que lhe rendeu menção honrosa no 1º Festival Nacional de Vídeo, do Museu de Arte Contemporânea da USP, em 1983. Paralelamente ao cargo de Assessor de Saúde Mental, da Superintendência Regional do Rio de Janeiro, INAMPS, em 1985, trabalhou como Diretor do Centro de Estudos do CPP II e foi designado como Suplente do Representante da Secretaria de Estado de Saúde e Higiene, em 1986. Durante o curso de Doutorado em Saúde Pública na ENSP, obteve bolsa na modalidade sanduíche da CAPES para estágio em Trieste, na Itália, sob orientação de Franco Rotelli durante os meses de novembro de 1991 a março de 1992. Fez estágio de pós-doutorado em Imola, na Itália, sob supervisão de Ernesto Venturini. A partir de 1993, assumiu a Coordenadoria do Núcleo de Estudos Político-Sociais em Saúde (NUPES), na Fiocruz. Coordena atualmente o Curso de Especialização em Saúde Mental e o Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental (LAPS). É doutor honoris causa da Universidade Popular das Madres da Plaza de Mayo. É autor e organizador de vários livros, dentre eles, “Loucos pela Vida: a trajetória da Reforma Psiquiátrica no Brasil”, uma obra de referência para o estudo deste tema e é um dos organizadores. Autor de O homem e a serpente – Outras histórias para a loucura e a psiquiatria; Psiquiatria social e reforma psiquiátrica; Ensaios: subjetividade, saúde mental, sociedade, dentre outros. É editor da coleção “Loucura e civilização”, da Editora Fiocruz. Foi presidente nacional da Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasme) e em 6 de junho de 2015, foi eleito seu Presidente de Honra. Coordenadora do Grupo de Trabalho em Saúde Mental da Abrasco, do qual é Vice-Presidente, membro da Diretoria Nacional do Cebes e professor titular e coordenador do Laboratório de estudos e pesquisas em saúde mental e atenção psicossocial da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, da Fiocruz.

Locais

Status legal

Funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

Contexto geral

Área de relacionamento

Área de controle da descrição

Identificador do registro de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

ISAAR(CPF): norma internacional de registro de autoridade arquivística para entidades coletivas, pessoas e famílias.

Status da descrição

nível de detalhamento

Datas das descrições (criação, revisão e remoção)

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Notas de manutenção