Osmar Mattos

Área de identificação

tipo de entidade

Pessoa

Forma autorizada do nome

Osmar Mattos

Forma(s) paralela(s) de nome

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) de nome

identificadores para entidades coletivas

área de descrição

Datas de existência

1917-2006

Histórico

Nasceu em 26 de janeiro de 1917, em Maceió, Alagoas. Em 1932, mudou-se para Recife com a família, de cinco irmãos. Optou pelo curso de Medicina por sugestão do pai, Oscar Mattos. Fez a graduação na Faculdade de Medicina de Recife, entre 1934 e 1939. O primeiro contato com a hanseníase ocorreu na década de 1940, quando Celso Lima Verde, diretor de Saúde do Amazonas, o convidou para trabalhar na Colônia Antônio Aleixo, em Manaus. Trabalhou também em Fortaleza, com lepra, sífilis e doenças venéreas. Foi aprovado no Curso de Especialização em Leprologia realizado em 1945 e promovido pelo Departamento Nacional de Saúde e pelo Serviço Nacional de Lepra (SNL), no Rio de Janeiro. Concluído esse curso, retornou ao Amazonas e trabalhou durante 10 anos como diretor do Leprosário Antônio Aleixo e chefe do Serviço de Lepra do Amazonas. Em 1949 ajudou a fundar a Associação Brasileira de Leprologia. Em 1954, transferiu-se para o Rio de Janeiro a convite do Diretor do SNL, Thomaz Pompeu Rossas, e iniciou sua participação na Campanha Nacional contra a Lepra (CNCL), promovida pelo SNL e pelo Ministério da Saúde. Essa Campanha foi uma ação extremamente importante e estratégica na descentralização dos serviços de atendimento aos doentes de hanseníase. O estado do Rio de Janeiro iniciou uma campanha piloto que, posteriormente, foi colocada em prática em todo o território nacional. A atuação nessa Campanha exigia viagens e deslocamentos constantes de seus diretores e, por isso, trabalhou em Cabo Frio, Saquarema, Macaé e Santa Maria Madalena, pois o estado foi dividida em vários setores geográficos. Em 1955, deixou o trabalho com a Campanha e foi trabalhar no Instituto de Leprologia (IL), em São Cristóvão, no Rio de Janeiro, como chefe da ‘Turma de Clínica e Terapêutica’; turma era a forma de designar as seções de trabalho. Em 1962, voltou a trabalhar na Campanha, e nela permaneceu até 1966. Entre 1961 e 1964, foi professor do tópico “Propedêutica Dermatológica”, do Curso de Lepra da Escola Nacional de Saúde. Além disso, ministrou um curso de Lepra no Departamento de Profilaxia da Lepra do estado de São Paulo, de 1965 a 1966, e foi chefe de clínica do Departamento de Dermatologia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro. Foi assistente do professor Ramos e Silva na cátedra de Dermatologia da Escola de Dermatologia e Cirurgia do Rio de Janeiro, atual UniRio, e trabalhou na Saúde dos Portos até aposentar-se em 1970, mas continuou atuando em clínica particular, no Rio de Janeiro, até 1975. Sua produção científica tem como marco a experiência com o uso da Talidomida na hanseníase e no prurido nodular de Hyde. O resultado foi apresentado na VI Jornada Brasileira de Leprologia, realizada em Niterói e em Nova Friburgo, em outubro de 1972, e ele foi o primeiro cientista a fazê-lo. Alguns dermatologistas estrangeiros presentes se interessaram entusiasticamente por sua pesquisa; pouco tempo depois, soube que sua experiência tinha sido publicada em um periódico estrangeiro e que o dr. Jacob Sheskin, dermatologia israelense, intitulava-se o autor da experiência exitosa. Morreu em 17 de novembro de 2006, em Niterói (Rio de Janeiro).

Locais

Estado Legal

Funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

Contexto geral

Área de relacionamento

Área de ponto de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ocupações

Área de controle da descrição

Identificador de autoridade arquivística de documentos

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

ISAAR(CPF): norma internacional de registro de autoridade arquivística para entidades coletivas, pessoas e famílias.

Status da descrição

nível de detalhamento

Datas das descrições (criação, revisão e remoção)

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Notas de manutenção