Mário Ulysses Vianna Dias

Área de identificação

Tipo de entidade

Pessoa

Forma autorizada do nome

Mário Ulysses Vianna Dias

Forma(s) paralela(s) de nome

  • Mário Vianna Dias

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) do nome

identificadores para entidades coletivas

Área de descrição

Datas de existência

1914-2003

História

Nasceu em 26 de abril de 1914, no Rio de Janeiro, filho de Armando Soares Dias e Maria do Carmo Vianna Dias. Estudou no Colégio São Vicente de Paulo, em Petrópolis (RJ), e ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade do Rio de Janeiro em 1931. Dois anos depois começou a estagiar na Divisão de Fisiologia do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), sob a orientação de Miguel Osório de Almeida. Em 1935 foi convidado por Arthur Moses para trabalhar com Rodolfo von Ihering na Comissão Técnica de Piscicultura do Nordeste, onde permaneceu até 1937, quando retornou ao Rio de Janeiro para concluir o curso de medicina. Já formado, foi nomeado assistente da cátedra de fisiologia da Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil. Em 1938 foi contratado como assistente técnico do IOC, e somente em 1945 passou a integrar o quadro permanente de biologistas da instituição, após ser aprovado em concurso promovido pelo Departamento de Administração do Serviço Público (DASP). Ainda no IOC ocupou as funções de chefe da Seção de Endocrinologia (1945-1949), da Seção de Fisiologia (1949-1952 e 1954-1956) e da Divisão de Fisiologia (1952-1953). De 1948 a 1949 realizou estágio no Instituto Nacional de Pesquisa Médica, de Londres, sob a orientação de George Lindor Brown. Além de atuar no campo da pesquisa, foi professor de fisiologia da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (1946-1984), livre-docente junto à cátedra de fisiologia da Faculdade Nacional de Medicina (1951), quando apresentou a tese “Estudo experimental do córtex cerebral 'motor' da preguiça e do tamanduá”, e professor de fisiologia da Faculdade Fluminense de Medicina, atual Universidade Federal Fluminense (1957-1990). Nessa universidade também atuou como diretor do Instituto Biomédico (1968-1970), membro do Conselho de Ensino e Pesquisa (1969-1971 e 1975-1979) e chefe do Departamento de Fisiologia (1970-1972, 1975-1980 e 1983-1984). Foi cofundador e vice-presidente do Instituto Brasileiro de Bibliografia e Documentação (1954-1964). Em 1971 foi afastado do IOC por motivos políticos, sendo transferido para a Divisão Nacional de Saúde Mental do Ministério da Saúde. Integrou a Sociedade de Fisiologia de Londres, a Organização Internacional de Pesquisas Cerebrais (IBRO), a Sociedade Brasileira de Fisiologia, a Sociedade de Biologia do Rio de Janeiro, a Academia Brasileira de Ciências e a Academia Internacional da História das Ciências. Morreu em 2003, no Rio de Janeiro.

Locais

Status legal

Funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

Contexto geral

Área de relacionamento

Área de controle da descrição

Identificador do registro de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

ISAAR(CPF): norma internacional de registro de autoridade arquivística para entidades coletivas, pessoas e famílias.

Status da descrição

nível de detalhamento

Datas das descrições (criação, revisão e remoção)

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Notas de manutenção