Item 18 - Maria José Deane

Área de identificação

Código de referência

BR RJCOC 05-05-02-01-18

Título

Maria José Deane

Data(s)

  • 1989 (Produção)

nível de descrição

Item

Dimensão e suporte

Documentos sonoros: 2 fitas cassete e 2 CD's (2h; cópia digital)

Área de contextualização

Nome do produtor

História arquivística

Entrevista realizada por Lúcio Flávio Taveira, Rose Ingrid Goldschmidt, na Fiocruz, no dia 12 de setembro de 1989.

Procedência

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Sumário: fitas 1 e 2
As heranças austríaca, portuguesa e italiana presentes na formação dos pais; observações sobre a morte da irmã por difteria; recordações da infância em Belém; comentários sobre o avô e a busca da riqueza na Amazônia; o desprezo ao título de nobreza da família von Paumgartten; o empobrecimento da família devido à Primeira Guerra Mundial; a disciplina na educação e a valorização da literatura desde a infância; a formação francesa da mãe; o vínculo direto de Belém com a Europa no início do século; a qualidade do ensino público em Belém durante o ciclo da borracha; a organização do Colégio von Paumgartten pelas tias educadoras; a formação do pai; a morte do avô; o casamento por procuração dos pais; o curso normal realizado pela mãe em Paris; a aversão pelos movimentos políticos e ideológicos; críticas ao conceito de vocação nata; a escolha profissional; o desenvolvimento do senso crítico e o desprezo aos dogmas religiosos; a liberdade concedida pela família na escolha profissional; o significativo número de mulheres na turma da faculdade de medicina; o encontro com Leônidas Deane na faculdade e sua influência no interesse pela pesquisa científica; o estágio como interna na Santa Casa da Misericórdia; o ingresso na equipe de Evandro Chagas e a presença feminina em grupo de pesquisadores exclusivamente masculino; a recepção como cientista no interior do Brasil; a questão da virgindade e o questionamento da importância do casamento; o contato com a família Chagas na década de 1930; o choque causado pela morte de Evandro Chagas; as aventuras presentes nas campanhas pelo interior do Brasil; a importância do estágio realizado no Curso de Aplicação do IOC; a ausência de nomes femininos de peso no IOC na década de 1930; o trabalho em hematologia com Walter Oswaldo Cruz; o ingresso na campanha contra o Anopheles gambiae e a briga com Evandro Chagas; a estruturação da Fundação Rockefeller nas campanhas contra a malária; a discriminação em sua carreira profissional; as mudanças profissionais devido à maternidade; as aulas preparadas a partir da narrativa de experiências passada; a opção pela dedicação exclusiva à maternidade durante os primeiros anos da filha; o convite de Samuel Pessoa para ingressar na USP; o envolvimento da filha em movimentos estudantis durante a ditadura militar e a sua fuga para a Argentina; a violência moral sofrida pelos presos políticos; comentários sobre a ditadura militar argentina.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Transcrição integral e sumário

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Restrito

Condições de reprodução

Restrito

Idioma do material

Forma de escrita do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Área de notas

Nota

Resenha biográfica
Maria José von Paumgartten Deane nasceu em 24 de julho de 1916, em Belém do Pará, onde realizou seus primeiros estudos. Em 1936, ingressou na Faculdade de Medicina e Cirurgia do Pará. Durante o curso, realizou trabalhos na comissão encarregada de estudos sobre leishmaniose visceral, do Serviço de Estudos de Grandes Endemias (SEGE), do Instituto Oswaldo Cruz (IOC). Permaneceu no SEGE até 1939, quando transferiu-se para a campanha contra o Anopheles gambiae, realizada no Ceará e Rio Grande do Norte. Em 1942, assumiu o cargo de assistente do Departamento de Parasitologia, do Serviço Especial de Saúde Pública (SESP), lotada no instituto Evandro Chagas, em Belém, onde colaborou em pesquisas sobre malária e filariose, realizando estudos na Amazônia e no Espírito Santo, entre outros estados. Promovida a chefe da seção de parasitologia do SESP, desenvolveu também pesquisas sobre verminose e leptospirose. Foi ainda chefe do laboratório de entomologia da Campanha de Erradicação da Malária, do Ministério da Saúde, cargo que exerceu até 1961, quando ingressou no Instituto de Medicina Tropical da USP. Em 1969, organizou o Departamento de Microbiologia e Parasitologia da Faculdade de Medicina de Taubaté (SP), transferindo-se em 1971 para Minas Gerais, onde desempenhou tarefa semelhante no Departamento de Zoologia da Universidade desse estado. Em 1976, a convite do governo venezuelano, organizou o Departamento de Parasitologia da Faculdade de Ciências da Saúde, da Universidade de Carabobo. Em 1980, transferiu-se para o IOC (FIOCRUZ) como pesquisadora titular do Departamento de protozoologia, onde também foi chefe pro-tempore do Centro de Microscopia Eletrônica. Logo depois, foi promovida a chefe deste Departamento. Em 1986, assumiu o cargo de vice-diretora do IOC. Em 1988, foi responsável pela reestruturação do curso de pós-graduação do IOC. Maria José Deane faleceu em 13 de agosto de 1995.

Notação anterior

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ponto de acesso - nome

Pontos de acesso de género

Área de controle da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status da descrição

nível de detalhamento

Datas de criação, revisão, eliminação

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Entidades coletivas, pessoas ou famílias relacionadas

Géneros relacionados

Lugares relacionados