Item 32 - Maria da Graça Souza Cunha

Área de identificação

Código de referência

BR RJCOC 05-06-01-01-01-06-32

Título

Maria da Graça Souza Cunha

Data(s)

  • 2004 (Produção)

nível de descrição

Item

Dimensão e suporte

Documentos sonoros: 1 fita cassete e 1 CD (45min; cópia digital)

Área de contextualização

Nome do produtor

História arquivística

Entrevista realizada por Maria Eugênia Noviski Gallo, em Ribeirão Preto (SP), no dia 24 de julho de 2004.

Procedência

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Sumário de assuntos
Fita 1 – Lado A
Lembranças dos pais e comentários sobre irmãos, marido e filhos; a profissão dos pais e irmãos; relatos da infância e da formação escolar; os motivos da opção pela Medicina e o início da graduação na UFPA em 1968; a vinda para o Rio de Janeiro e a residência médica no hospital Pedro Ernesto, com o professor Rubem David Azulay, em 1974; as aulas sobre hanseníase e a visita ao Hospital
Colônia de Marituba, em Belém, Pará, durante a graduação; a influência dos professores Rubem David Azulay e Avelino Miguez Alonso; comentários sobre o casamento, em 1973, meses antes dessa viagem para o Rio de Janeiro; a permanência no estado por dois anos, para a conclusão de sua residência médica em Dermatologia, e de seu marido, em Cirurgia; a ida para Manaus em 1976,
para trabalhar no Dispensário Alfredo da Matta; as passagens pelo Hospital Antônio Aleixo e o concurso para o Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (Inamps), concomitante ao período em que atuava no Alfredo da Matta; o cargo de diretora do Instituto Alfredo da Matta, eleita duas vezes, em 1998 e 2003; a importância da Fundação Alfredo da Matta (FUAM) como centro de referência em dermatologia e colaborador da OMS; a dificuldade em conciliar a direção da Fundação com o atendimento em sua clínica particular; comentários sobre o trabalho, as pesquisas e as atividades implementadas pela Fundação Alfredo da Matta, com financiamento do Ministério da Saúde e da OMS; comentários sobre sua participação como membro
do Comitê Assessor do Ministério da Saúde para Hanseníase; a relevância dos congressos e os países visitados em função do trabalho; considerações sobre a profissão dos filhos; observações sobre o mestrado e o doutorado concluídos na USP, em Ribeirão Preto, entre 1992 e 2001; a relação com a família e as atividades profissionais.

Fita 1 – Lado B
Opinião sobre algumas questões relativas à doença, como a eliminação da hanseníase em 2005, o estigma e as campanhas de esclarecimento à população em geral; a respeito do papel e da atuação do Morhan no Brasil, e, mais especificamente, no Amazonas.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Transcrição integral e sumário de assuntos

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Sem restrição

Condições de reprodução

Sem restrição

Idioma do material

Forma de escrita do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Nota de publicação

MACIEL, Laurinda Rosa. ‘Memórias e narrativas da lepra/hanseníase: uma reflexão sobre histórias de vida, experiências do adoecimento e políticas de saúde pública no Brasil do século XX’, In História Oral, v. 20, n. 1, p. 33-54, jan./jun. 2017.
Disponível em: <http://revista.historiaoral.org.br/index.php?journal=rho&page=article&op=view&path%5B%5D=696&path%5B%5D=pdf>

Área de notas

Nota

Resenha Biográfica
Maria da Graça Souza Cunha nasceu em Vigia de Nazaré, Pará. Filha de pai nordestino e mãe portuguesa, teve nove irmãos. Cursou o ensino fundamental no Grupo Escolar Augusto Montenegro, e o ensino médio no Colégio Magalhães Barata, ambos em Belém. Ao terminar a Educação Básica optou pela área de Medicina, em grande parte pelo incentivo recebido de alguns amigos médicos já formados. Ingressou na Universidade Federal do Pará (UFPA) em 1968, e concluiu o curso em 1973. Na graduação teve muitas aulas sobre hanseníase por causa da facilidade em encontrar casos na região. Um ano após o término da graduação transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde realizou a residência médica com o professor Rubem David Azulay, no Hospital Pedro Ernesto. Em 1975 foi convidada por um primo, também médico, para trabalhar em Manaus, e no ano seguinte deixou o Rio de Janeiro para atuar no Dispensário Alfredo da Matta. Nesse mesmo período
passou para o cargo de dermatologista do Inamps e permaneceu nos dois empregos simultaneamente. Assumiu pela primeira vez a direção da Fundação Alfredo da Matta em 1988, quando a instituição ainda era o Centro de Dermatologia Alfredo da Matta. Em 1994 deixou a direção para fazer mestrado na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, São Paulo, concluído em 1998 com o trabalho intitulado Níveis de anti-PGL1 no soro de pacientes com hanseníase tratados com quinolona e poliquimioterapia. No ano seguinte iniciou o doutorado na mesma instituição e em 2001 defendeu a tese Episódios reacionais e relação com recidiva em doentes com Hanseníase Multibacilar tratados com diferentes esquemas
terapêuticos. Em 2003 retornou ao cargo de diretora da Fundação, indicada pela comunidade. Durante sua gestão a Fundação transformou-se em um centro de referência em hansenologia no país e no mundo. Voltou à direção em 2003, onde permaneceu até 2007. Faz parte do Comitê Técnico Assessor do Programa Nacional de Controle da Hanseníase do
Ministério da Saúde desde a década de 1980. Foi membro do Technical Adviser Group (TAG/WHO) de 2006 a 2009. Atualmente continua na Fundação Alfredo da Matta, representando a instituição em congressos e eventos por todo o mundo, e tornou-se expert em terapêutica da hanseníase. Coordena dois projetos do PPSUS/Decit/CNPq para a Amazônia, na área de recidiva, e atende também em clínica privada.

Notação anterior

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ponto de acesso - nome

Pontos de acesso de género

Área de controle da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status da descrição

nível de detalhamento

Datas de criação, revisão, eliminação

Fontes utilizadas na descrição

Zona da incorporação

Entidades coletivas, pessoas ou famílias relacionadas

Géneros relacionados

Lugares relacionados