Maria Ângela Alcalde Torrencilla

Área de identificação

tipo de entidade

Pessoa

Forma autorizada do nome

Maria Ângela Alcalde Torrencilla

Forma(s) paralela(s) de nome

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) de nome

  • Irmã Ângela Torrencilla

identificadores para entidades coletivas

área de descrição

Datas de existência

1930-?

Histórico

Nasceu em 23 de abril de 1930, em Badajós (Espanha) em família de quatro irmãos. O pai foi militante na Guerra Civil Espanhola e aos 18 anos despertou-lhe a vontade de trabalhar em missões religiosas. Em 1948, entrou para a congregação das Franciscanas Missionárias de Maria. Em 1949, viajou para Portugal com o intuito de finalizar sua formação religiosa. Ao término dessa formação, iniciou e concluiu o curso secundário de enfermagem, tornando-se Técnica em Enfermagem. Atuou no Hospital Ortopédico Sant’lago do Outão, em Setúbal, considerado referência no tratamento de tuberculose óssea. Em 1953, a filial de sua congregação localizada em Manaus, iniciou um trabalho de apoio e ajuda aos filhos de atingidos pela hanseníase. Com o crescimento desse projeto, as irmãs conseguiram, com apoio governamental, um espaço para abrigar e atender tais pacientes na Colônia Antônio Aleixo. Em 1971, foi convidada por sua congregação para vir ao Brasil atuar na Colônia, e ali realizou diversos projetos educacionais e culturais, com o objetivo de dar um pouco de cidadania àquelas pessoas. Com o dr. Sinésio Talhari atuou na desospitalização de pacientes da Colônia Antônio Aleixo, que se transformou no Bairro do Aleixo. No Brasil, graduou-se em Enfermagem pela Escola de Enfermagem de Manaus, em 1977, qualificando-se em Saúde Pública em curso promovido pela representação da Fiocruz em Manaus, em 1979. Em 1979 passou a trabalhar na Casa Amarela, órgão que se transformou em dispensário ligado à SES/AM. Obteve a cidadania brasileira em 1980. Desde então, começou a percorrer os rios das regiões amazônicas com o intuito de levar informação, atendimento e medicação àquela população, instituindo, assim, um sistema de parceria entre profissionais de saúde, pacientes e ex-pacientes. Foi uma importante intermediadora na instalação das organizações não governamentais da International Leaders in Education Program (ILEP) no Brasil, coordenando os projetos financiados pela Associação Alemã de Assistência aos Hansenianos (DAHW) na região e ajudou a criar a Fundação para o Controle da Hanseníase no Amazonas (FundHans) em 1995. Trabalhou na coordenação do Programa de Controle Estadual de 1980 a 2000, e com o dr. Sinésio Talhari, em 1982, foi pioneira na implantação e disseminação da poliquimioterapia no Brasil. Também trabalhou como assessora do Programa de Controle da Hanseníase no Brasil, do Ministério da Saúde, para a Região Norte. Aposentou-se profissionalmente, porém continuou seu trabalho na Fundação Alfredo da Matta (FUAM), ajudando os programas de controle da hanseníase dos estados do Amazonas e Roraima.

Locais

Estado Legal

Funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

Contexto geral

Área de relacionamento

Área de ponto de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ocupações

Área de controle da descrição

Identificador de autoridade arquivística de documentos

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

ISAAR(CPF): norma internacional de registro de autoridade arquivística para entidades coletivas, pessoas e famílias.

Status da descrição

nível de detalhamento

Datas das descrições (criação, revisão e remoção)

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Notas de manutenção