Subseção 10 - Laboratório de Hanseníase

Área de identificação

Código de referência

BR RJCOC 02-35-10

Título

Laboratório de Hanseníase

Data(s)

  • 1890-1989 (Produção)

nível de descrição

Subseção

Dimensão e suporte

Documentos textuais: 8.527 itens.
Documentos iconográficos: 148 itens.
Documentos cartográficos: 8 itens.
Documentos filmográficos: 7 itens.

Área de contextualização

Nome do produtor

(1946-)

Biografia

As origens do Laboratório de Hanseníase do Departamento de Medicina Tropical do Instituto Oswaldo Cruz remontam à criação, em 1946, do Instituto de Leprologia do Serviço Nacional de Lepra, então subordinado ao Departamento Nacional de Saúde (DNS). Sua criação visava a constituição de um núcleo de estudos e pesquisas que subsidiassem as ações públicas voltadas ao controle e tratamento da hanseníase, suprimindo a lacuna deixada pelo encerramento das atividades do Centro Internacional de Lepra que, com o apoio da Liga das Nações, funcionou entre 1934 e 1939 no IOC. A partir de 1947, tiveram início as pesquisas e os estudos nas dependências do hospital Frei Antônio, no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro. Em 1952 foi inaugurado, anexo ao hospital, o pavilhão que seria a sede do Instituto até 1976. Porém, somente em 1955, foi definido o regimento do Serviço Nacional de Lepra e com ele uma estrutura para o Instituto de Leprologia. Esta estrutura permaneceu até 1969 e contemplava as seguintes subdivisões finalísticas, denominadas turmas: Anatomia Patológica; Bacteriologia e Imunologia; Bioquímica e Farmacologia e ainda, Clínica e Terapêutica. Através de convênio coma Irmandade do Santíssimo Sacramento da Candelária, o hospital Frei Antônio funcionava como clínica hospitalar. Neste período, os trabalhos do Instituto orientaram-se pelos seguintes temas básicos, entre outros: hanseníase experimental; Imunologia da hanseníase; diagnóstico e classificação; experimentação de novas drogas e de associações medicamentosas; papel das enzimas na predisposição e no desenvolvimento da doença; patogenia e terapêutica da reação leprótica e, ainda espaços viscerais da hanseníase. O Instituto realizava também o preparo e a distribuição de lepromina e outros reagentes para o diagnósticos da hanseníase. Em maio de 1970, o Instituto de Leprologia passou a integrar a Fiocruz como órgão autônomo, coordenado pelo IOC, permanecendo, porém, sua sede em São Cristóvão. Apesar deste novo posicionamento institucional, o Instituto de Leprologia manteve as mesmas linhas básicas no desenvolvimento de suas atividades. Em 1976, quando um amplo programa de reformulação da Fundação Oswaldo Cruz foi implementado, o Instituto de Leprologia foi absorvido pelo IOC, e seus trabalhos de estudo e pesquisa passaram, em 1980, a ser realizados pelo Setor de Leprologia, então constituído como uma subdivisão do Departamento de Medicina Tropical. Esta vinculação organizacional permanece até os dias de hoje, mudando apenas a sua denominação para Laboratório de Hanseníase. Operando no campus de Manguinhos, o laboratório atua desde então nas áreas assistenciais, de formação de recursos humanos e de pesquisa, estas voltadas particularmente para a imunopatologia, para os estudos clínico-epidemiológicos e para o diagnóstico precoce da hanseníase.

História arquivística

Procedência

Recolhimento

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Reúne documentação administrativa e técnico-científica referente às atividades do Instituto de Leprologia no período em que esteve vinculado ao Serviço Nacional de Lepra e após a sua integração à estrutura da Fiocruz. A documentação administrativa permite a observação de aspectos da organização e do funcionamento do Instituto. A documentação técnico-científica refere-se ao planejamento, à execução e ao acompanhamento das atividades finalísticas da instituição. Contém informações sobre a sua inserção na implementação de políticas públicas no setor; os aspectos epidemiológicos da hanseníase e de outras endemias; a realização de estudos farmacológicos e a produção e distribuição de lepromina, histamina, pilocarpina e outros produtos. Contempla, ainda, a realização e avaliação de testes para diagnósticos da hanseníase; o desenvolvimento de pesquisas, reunindo inclusive protocolos de trabalhos experimentais; a programação e realização de cursos e a participação de profissionais da instituição em eventos científicos. A documentação permite, também, a observação de aspectos da estrutura e do funcionamento das atividades finalísticas da Fiocruz e da organização associativa de seus funcionários. Além disso, este conjunto é composto por documentos acumulados por Nilson Carvalho da Silva referentes à sua formação, às atividades e funções exercidas como pesquisador do Instituto, assim como farmacologista da Schering Produtos Químicos e Farmacêuticos S.A . Merecem destaque seus apontamentos sobre a organização e o funcionamento do Laboratório de Biologia desta empresa e sobre aspectos gerais da produção de medicamentos no Brasil.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

A documentação encontra-se em fase preliminar de tratamento, disposta em maços acondicionados em caixas de arquivo. Os documentos de cada maço estão ordenados cronologicamente

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Sem restrição

Condiçoes de reprodução

Sem restrição

Idioma do material

Forma de escrita do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Notação anterior

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ponto de acesso - nome

Pontos de acesso de género

Área de controle da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status da descrição

Nível de detalhamento

Datas de criação, revisão, eliminação

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Entidades coletivas, pessoas ou famílias relacionadas

Géneros relacionados

Lugares relacionados