José Fonseca da Cunha

Área de identificação

Tipo de entidade

Pessoa

Forma autorizada do nome

José Fonseca da Cunha

Forma(s) paralela(s) de nome

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) do nome

  • Fonseca da Cunha

identificadores para entidades coletivas

Área de descrição

Datas de existência

1914-2005

História

Nasceu em 1914, na cidade de Itanhandú (MG). Em 1931, ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), diplomando-se em 1936. Paralelamente, exerceu a função de interno acadêmico da Santa Casa de Misericórdia. De 1937 a 1939, foi médico estagiário da Assistência Municipal do Rio de Janeiro. Em 1940, por intermediário de Ernani Agrícola, foi contratado como médico pela Fundação Rockefeller, no Serviço de Estudos e Pesquisas sobre Febre Amarela. Permaneceu nessa instituição até 1949, quando foi transferido para o Serviço Nacional de Febre Amarela, incorporado ao Instituto Oswaldo Cruz (IOC) em 1950. Passou a desenvolver trabalhos na Divisão de Virologia, na qual chefiou o laboratório de produção da vacina antivariólica. Em 1955, foi convidado por Antônio Augusto Xavier, diretor do IOC, para exercer o cargo de secretário-administrativo e, após três meses, assumiu a direção do Hospital Evandro Chagas. Em 1964, nessa mesma divisão assumiu o cargo de chefe da Seção de Produção de Soros e Vacinas. No ano seguinte, desempenhou a função de chefe da Divisão de Nosologia do IOC, atividade que acumulou com as de coordenador e supervisor da fabricação de produtos biológicos. Em 1968, foi nomeado diretor substituto do IOC, cargo que ocupou até 1969 quando, a convite do ministro da Saúde Francisco de Paula da Rocha Lagoa, ocupou o cargo de chefe de gabinete, do qual exonerou-se em 1972. Entre 1959 e 1969, recebeu bolsas de estudos da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), para aprimoramento tecnológico de produção da vacina antivariólica liofilizada na Europa e América do Norte, devido ao envolvimento do Brasil na campanha de erradicação da varíola no mundo, esforço coordenado pela OMS. Em 1962, tornou-se membro do Comitê Executivo da Campanha Nacional de Erradicação da Varíola. Em 1967 e 1968, participou como consultor da OPAS, das campanhas de vacinação contra a febre amarela, na Colômbia, e contra a varíola no Equador. Dois anos depois, foi convidado para participar como subchefe da delegação brasileira, na 23ª Assembleia Geral da OMS, realizada em Genebra. Em 1971 foi delegado do Brasil na 66ª Reunião da OPAS/OMS, em Washington e, de 1972 a 1973, foi membro do Conselho Nacional da Cruz Vermelha. Em 1974, recebeu da OPAS e da OMS bolsas de estudos para realizar estágio de aperfeiçoamento no preparo da vacina BCG liofilizada, no México e Canadá. Em 1976, fez estágio referente à produção de BCG no Instituto Pasteur, em Paris. Também trabalhou na Fundação Ataulfo de Paiva, instituição voltada para a produção dessa vacina, onde permaneceu até 1997. Devido ao convênio assinado entre a Fundação Oswaldo Cruz e o governo japonês, visitou o Instituto Biken, da Universidade de Osaka, em 1984, para o estudo do processo de produção das vacinas contra o sarampo e a poliomielite. Exerceu em Bio-Manguinhos a função de coordenador de produção de vacinas virais e de apoio tecnológico. Aposentou-se em dezembro de 1990. Morreu em 28 de junho em 2005.

Locais

Status legal

Funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

Contexto geral

Área de relacionamento

Área de controle da descrição

Identificador do registro de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

ISAAR CPF

Status da descrição

Nível de detalhamento

Datas das descrições (criação, revisão e remoção)

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Notas de manutenção