Visualização de impressão Fechar

Mostrando 104 resultados

descrição arquivística
Carlos Ribeiro Justiniano Chagas
Visualização de impressão Ver:

68 resultados com objetos digitais Mostrar resultados com objetos digitais

Sessão de 8 - VIII - 03. 2ª. Sessão

  • BR RJCOC OC-PI-TT-55
  • Dossiê
  • 08/08/1903
  • Parte de Oswaldo Cruz

Resumos manuscritos de artigos publicados em periódicos de medicina, elaborados por Rocha Lima, Carlos Chagas, Ezequiel Dias e Cardoso Fontes.

Biografias

Cadernos de Saúde Pública

Certificados

  • BR RJCOC JR-FC-ST-21
  • Dossiê
  • 20/06/1924-25/03/1959
  • Parte de José Reis

Diapositivos

Curculionidae; cirripédios; ceratoconcha floridanum; b. Improvisus; b. pallidus; hemócito; trypanosoma cruzi; octolasmis louvei; Balanus; balanídeos; embiídeos; doença de Chagas; barbeiros; eosembria; embioptera; embiidina; lutzomia longipalpis; gregarinas; b. Eburineus; b. Trigonus; b. Amphitrite; platylepas; b. Tintinnabulum

Chagas no Acre e Purus

Terceira parte do projeto Revisitando a Amazônia de Carlos Chagas: da borracha à biodiversidade, o qual refaz a expedição científica de Carlos Chagas à Amazônia, de 1912, tendo como objetivo fazer uma comparação entre as condições de vida e de saúde da região, no início do século e hoje. Neste documentário são visitadas as populações ribeirinhas dos rios Acre e Purus.

Chagas nos Rios Negro e Branco

Segunda parte do Projeto Revisitando a Amazônia de Carlos Chagas: da borracha à biodiversidade, o qual refaz a expedição científica de Carlos Chagas à Amazônia, de 1912, tendo como objetivo fazer uma comparação entre as condições de vida e de saúde da região, no início do século e hoje. Refaz o mesmo trajeto realizado por Carlos Chagas nos rios Negro e Branco. Entrevistando moradores das comunidades ribeirinhas, vilas e cidades e profissionais de saúde, os pesquisadores procuraram verificar as atuais condições sanitárias do médio Amazonas. Intercalando trechos do relatório da expedição de Chagas com a voz dos pesquisadores, tem-se um panorama da situação médico sanitária da Amazônia.

Correspondência com o cientista Henrique da Rocha Lima

  • BR RJCOC OC-COR-CI-11
  • Dossiê
  • 08/04/1901-20/01/1915
  • Parte de Oswaldo Cruz

Percorrendo praticamente todo o período em que o titular esteve à frente de Manguinhos, com concentração nos períodos de 1901-1902, 1905-1907, 1910 e 1915. O primeiro período refere-se ao momento em que, após ter realizado estudos em Manguinhos, Henrique da Rocha Lima seguiu para a Alemanha no intuito de estudar bacteriologia no Instituo de Higiene de Berlim, sob a orientação de Martin Ficker, recebendo notícias do titular sobre as pesquisas feitas em Manguinhos sobre a malária, peste bubônica, raiva, filariose, além de informar-lhe sobre a eclosão da pesta bubônica no Rio de Janeiro e sobre a oposição feita ao Instituto. Em dezembro de 1902, após a exoneração do barão de Pedro Affonso da direção do Instituto Soroterápico, o titular, pretendendo ampliar os fins do instituto, convida-o a chefiar os estudos sobre as doenças tropicais, ao mesmo tempo em que lhe pede sua coleção de culturas, e que passe no Instituto Pasteur de Paris e traga amostras da cultura de difteria para iniciar o preparo do soro antidiftérico. O segundo momento descreve os estudos feitos pelo missivista e por Alcides Godoy sobre o carbúnculo sintomático, ou peste da manqueira, que atingia o gado bovino. Os dois cientistas vão para Juiz de Fora para realizar a soro-vacinação anticarbunculosa nos bezerros que, após esta experiência, passaria a fazer parte da pauta de produção de Manguinhos. Em meados de 1906, Henrique da Rocha Lima embarca novamente para a Alemanha, passando antes em Londres, onde procurou o taxonomista Frederick V. Theobald no Museu de História Natural, e em Paris, onde esteve no Instituto Pasteur e ficou surpreso com o culto à personalidade de Pasteur que ali se fazia. Por um breve período permanece no Instituto de Higiene de Berlim, mas logo vai para Munique especializar-se em anatomia patológica com Hermann Duerck, onde poderá também estudar a febre amarela e coletar material para estudo e ensino em Manguinhos. Neste período os dois cientistas trocam informações e respeito das experiências e rotinas que vivenciam em seus respectivos institutos, além de comentar a vida cultural em Munique e Berlim, e acontecimentos como a tramitação do projeto de reformulação de Manguinhos no Senado e a morte do cientista Francisco Fajardo, após ter tomado o soro antipestoso. Em 1907 a correspondência versa essencialmente sobre a participação de Manguinhos no XIV Congresso e na Exposição de Higiene e Demografia de Berlim, onde os trabalhos apresentados foram: "Epidemiologia da peste no Rio" por Figueiredo de Vasconcellos; "Evolução do halterídio do pombo-espirulose das galinhas" por Henrique Aragão; "Contribuição ao estudo químico do bacilo da tuberculose" por Cardoso Fontes; "Mosquitos transmissores do impaludismo no Brasil" e "Profilaxia do impaludismo" por Carlos Chagas e Arthur Neiva e "Profilaxia da febre amarela no Rio de Janeiro" por Oswaldo Cruz. Após a premiação neste evento, há um hiato na correspondência, retornando apenas em 1909, quando o titular informa a seu missivista sobre a nova doença descoberta por Carlos Chagas, que viria a se chamar doença de Chagas ou tripanossomíase americana, cujo relato sairia no segundo número das Memórias do Instituto Oswaldo Cruz. Na mesma carta, o titular o parabeniza por ter sido convidado por Hermann Duerck a permanecer no Instituto de Patologia de Munique.

Chagas na Amazônia

Primeira parte do Projeto Revisitando a Amazônia de Carlos Chagas: da borracha à biodiversidade, o qual refaz a expedição científica de Carlos Chagas à Amazônia, de 1912, tendo como objetivo fazer uma comparação entre as condições de vida e de saúde da região, no início do século e hoje. Aqui são visitados os rios Juruá, Tarauacá e Solimões.

Pesquisador do Instituto Oswaldo Cruz

  • BR RJCOC HL-DP-RA-04
  • Dossiê
  • 30/07/1941 - 06/06/1969
  • Parte de Herman Lent

Reúne: Cartas; Telegramas; Informativos; Programas de Cursos; Programas de Eventos; Fotografias e Desenhos.

Publicações

"Aula inaugural do professor Carlos Chagas, no pavilhão Miguel Couto a 14 de setembro de 1926"; "Un poco de la vida de Carlos Chagas"; "Epidemiologia da doença de Carlos Chagas no estado do Rio Grande do Sul - Brasil"; "A penicilinoterapia intradermica"; "Boletin de informaciones parasitarias chilenas"; "Moléstias humanas transmitidas por hemípteros sugadores"; "A patologia de doença de Chagas"; "Boletim da Fundação Gonçalo Moniz"; "La Maladié de Chagas"; "Miocardítis Pernicosa"; "Estudos compratives sur les trypanosomiases américaine et africaine"; "Temas selecionados sobre medicina de animais de laboratório"; "Xenodiagnóstico no Instituto de Cardiologia"; "Mineral Requeirements"; "Monagement of a Laboratory bruding colony macaca mulata"; "Metodos de fifación del complemento estandarizado cuantativamente para la evoluación crítica de antígenos preparados con trypanossoma cruzi"; "Méthodes d'enquêtes, de surveillance et d'évalution de la lutie"; "Resenha Clínica- Científica"

Certidões

  • BR RJCOC HL-FC-ST-04
  • Dossiê
  • 26/09/1935 - 25/07/1979
  • Parte de Herman Lent

Cartas

  • BR RJCOC PC-VP-RS-03.v.7
  • Dossiê
  • 02/01/1968 - 15/12/1972
  • Parte de Paulo Carneiro

Cartas

  • BR RJCOC PC-VP-RS-03.v.6
  • Dossiê
  • 05/01/1961 - 29/12/1967
  • Parte de Paulo Carneiro

Francisco Luiz Bernardes; Luiza Bernardes; Adelaide Castro

Cartas

  • BR RJCOC PC-VP-RS-03.v.4
  • Dossiê
  • 14/02/1945 - 31/12/1953
  • Parte de Paulo Carneiro

Resultados 1 a 30 de 104