Mostrando 265 resultados

descrição arquivística
Belém (PA)
Visualização de impressão Ver:

8 resultados com objetos digitais Mostrar resultados com objetos digitais

Cartas

Leitura de Interesse Profissional

Informativos; Artigos Científicos; Circulares; Teses; Ensaios; Decretos; Enciclopédias; Recortes de Jornais; Publicações; Revistas; Cartas; Progamas; Diário Oficial; Relatórios de Atividades; Estatutos; Apostilas; Jornais; Regulamentos; Manuais; Projetos; Noticiários; Discursos; Prospectos; Relatórios de Pesquisa; Conferência; Catálogos; Lista de Publicações; Convenções; Planos de Ação; Bulas de Remédios; Currículos; Entrevistas; Fotografias; Gravuras; Mapas; Quadros e Resultados.
Inclui: Journal of the Chemical Society; Revue de L'Amérique Latine; Italy's War Crimes in Ethiopia; Jubrilé Scientifique de M. Gabriel Bertrand.

Correspondência Diversa com Familiares e Amigos

  • BR RJCOC OC-COR-PES-02
  • Dossiê
  • 05/04/1891 - 05/02/1917
  • Parte de Oswaldo Cruz

Cartas e bilhetes enviados ao sogro, o comendador Manuel da Fonseca, aos cinco filhos, aos cunhados Ezequiel Dias e Miuça, ao amigo Egydio Salles Guerra e a João Batista da Costa, referentes principalmente aos seus períodos de viagem à Europa. Merece destaque o documento mais antigo em que seu pai, Bento Gonçalves Cruz, escreve ao comendador Fonseca pedindo a benção para a união de seus filhos Oswaldo e Emília.

Núcleo Arquitetônico da Fiocruz

Apresenta fotografias dos seguintes pavilhões: Mourisco, Henrique Aragão, Pavilhão da Peste - Relógio e Aquário, Gaspar Viana, Rocha Lima, Figueiredo de Vasconcellos, Lauro Travassos, Cardoso Fontes, Rockefeller, Carlos Chagas, Wladimir Lobato Paraense e Leônidas Deane. Contém ainda fotografias de plantas e projetos, do campus e seus arredores, das primeiras instalações do Instituto Oswaldo Cruz e das seguintes construções: Casa de Chá, Almoxarifado, Pombal, Escola Nacional de Saúde Pública, Parque Ecológico dos Pinheiros, Multimeios, Cavalariça/Estrebaria, Cocheira, Garagens e Oficinas, Biotérios, CECAL, Residência da Presidência, laboratórios, Instituto Fernandes Figueira, Instituto de Endemias Rurais, Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz, Centro de Pesquisas René Rachou e Hospital do Instituto Evandro Chagas de Belém.

Político-Administrativa

  • BR RJCOC OC-COR-PA
  • Subsérie
  • 1905 - 1917
  • Parte de Oswaldo Cruz

Está subdividida em 5 dossiês representados por cada um dos cadernos em que o titular deixava cópias dos telegramas e cartas emitidas tanto a partir do IOC, da DGSP e da Prefeitura de Petrópolis. Telegramas enviados a Carlos Chagas quando da descoberta da doença de Chagas, além do telegrama em que se licencia da Prefeitura de Petrópolis por motivo de saúde.

Cartas, ofícios e relatórios relativos à campanha contra a febre amarela no Pará

  • BR RJCOC OC-IOC-03
  • Dossiê
  • 1905-1913
  • Parte de Oswaldo Cruz

Relatório dos trabalhos executados pela Comissão de Profilaxia da Febre Amarela; carta do titular em que comunica a erradicação da febre amarela em Belém; listagem de profissionais contratados para a campanha; mapa original (1905) da cidade de Belém, indicando o número de infectados e óbitos de febre amarela durante o ano de 1911; relatório dos trabalhos executados pela polícia de focos no porto; lista com número de atendidos nos hospitais de Belém durante o mês de outubro de 1910; relatório de Ângelo da Costa Lima contendo descrição das atividades da Comissão de Profilaxia da Febre Amarela em Santarém e Óbidos.

Correspondência da Diretoria Geral de Saúde Pública

  • BR RJCOC OC-COR-PA-01
  • Dossiê
  • 30/09/1905-21/08/1906
  • Parte de Oswaldo Cruz

Os documentos registram a expedição aos portos marítimos e fluviais do Brasil, desde o porto de Vitória, passando pelos portos do Nordeste, até Belém e Manaus, a bordo do rebocador República. Os telegramas registram a preocupação do titular com a vigilância sanitária dos portos como meio de evitar a entrada de doenças.

Combate à Malária durante a Construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré

  • BR RJCOC OC-COR-PES-06
  • Dossiê
  • 25/06/1910-24/07/1911
  • Parte de Oswaldo Cruz

Cartas enviadas à esposa referentes aos períodos em que esteve em expedição para combater a malária na região onde se construía a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, e que dizimava os trabalhadores, tendo nesta ocasião sido convidado pelo governador do Pará a organizar o serviço de saneamento daquele estado onde grassava a febre amarela. De lá seguiria para Dresden, na Alemanha, afim de representar o Instituto de Manguinhos no Pavilhão Brasileiro montado na Exposição de Higiene e Demografia. Desta feita o estande brasileiro referia-se à descoberta da doença de Chagas, que trouxe grande repercussão para a instituição no exterior, e que mais uma vez concederia o primeiro prêmio ao Brasil. Esta última viagem foi feita em companhia da filha mais velha, Elisa. Ambos empreenderam uma longa excursão que incluiu França, Itália e Espanha. Este conjunto de cartas traz uma importante descrição das condições naturais, consideradas exóticas para os cientistas habituados às paisagens mais amenas do Sudeste, com destaque ao documento em que se refere ao pássaro conhecido como Uirapurú. Em Santarém (PA) e Porto Velho (RO), descreve as péssimas condições de vida e de saúde da população, ressaltando que nesta última cidade a mortalidade infantil é absoluta, não havendo nenhum indivíduo nativo, todos vêm de fora. Em outro documento revela sua grande preocupação com a família ao saber da eclosão da Revolta da Chibata e que foram disparados três tiros na cidade. Há um breve período em que a correspondência refere-se à viagem realizada pela esposa do titular a Belo Horizonte, onde sua irmã, casada com Ezequiel Dias, estava prestes a dar à luz.

Comissão de Profilaxia da Febre Amarela em Belém

De pé, da direita para a esquerda: Angelo da Costa Lima, Abel Tavares de Lacerda, João Pedro de Albuquerque (3º), Caetano da Rocha Cerqueira e Emygdio José de Matos. Sentados: Serafim da Silva, Leocádio Chaves, João Pedroso Barreto de Albuquerque (3º), Francisco Ottoni Maurício de Abreu e Belisário Penna.

Pará

Imagens referentes aos equipamentos para captura e transporte de animais, captura de mosquitos com isca humana, residências onde ocorreram casos positivos e fatais de febre amarela, estrada de ferro, plantações; moradores e doentes locais, leito de rios com barcos, lanchas e hidroaviões, barril de demarcação com tela a prova de mosquitos, cais do porto, igarapé, cidades visitadas, escritório do Serviço de Febre Amarela em Belém, casa de farinha, banheiro coletivo, pântanos com foco de stegomyia no estado do Pará.

Malária, Esporozoários e Hemoparasitos

Contém desenhos e fotografias de plasmódios, coccídeos, gregarina, babesia, piroplasma, anaplasma e opalina, como também de mapas referentes a localização de algumas espécies de plasmódios na África e no Brasil.

Diplomas

  • BR RJCOC HL-FC-ST-02
  • Dossiê
  • 11/11/1934 - 17/02/1984
  • Parte de Herman Lent

Associação Fluminense de Estudantes de Medicina da Universidade do Rio de Janeiro

Cartas

Decreto-lei n. 3.112 de 12 de março de 1941, que reorganiza o Departamento Administrativo do Instituto e decreto n. 9.007 de março de 1946 que incorporou o Instituto Oswaldo Cruz à Universidade do Brasil

e subordina o Instituto também legislação sobre a Fundação do Instituto de Patologia Experimental em 1936, carta manuscrita do Dr. Evandro Chagas, recortes de jornal, recorte do Diário Oficial e folheto.

Leprosário de Marituba em Belém

Inscrição: "Leprosário de Marituba, Belém, Estado do Pará, em adiantada construção de 1938. Destina-se a 1.000 doentes".

Resultados 1 a 30 de 265