Visualização de impressão Fechar

Mostrando 19 resultados

descrição arquivística
Oswaldo Cruz Rio de Janeiro (RJ)
Visualização de impressão Ver:

Campanhas Sanitárias Organizadas pelo Titular

  • BR RJCOC OC-DGSP-02
  • Dossiê
  • 12/05/1903-05/08/1909
  • Parte de Oswaldo Cruz

Relação de endereços dos prédios onde ocorreram casos de peste bubônica entre 1900 e 1903; manuscrito da Sociedade de Salvação Pública na qual afirma-se a decisão de assassinar o titular, o prefeito do Distrito Federal, Francisco Pereira Passos e o presidente da República, Rodrigues Alves; lista das personalidades médicas e políticas contatadas durante a viagem de inspeção aos portos do Norte, realizada pelo titular em 1905.

Correspondência trocada entre o titular e médicos paulistas a respeito do surto de peste bubônica de Santos

  • BR RJCOC OC-COR-CI-04
  • Dossiê
  • 20/10/1899-12/06/1900
  • Parte de Oswaldo Cruz

Contendo relatos minuciosos e mapas estatísticos sobre a epidemia, além dos entendimentos entre o titular e Victor Godinho, médico da Santa Casa de Misericórdia de Santos, a respeito da publicação do relatório sobre a doença. Duas cartas enviadas por Nuno de Andrade revelando os primeiros entendimentos entre o ministro da Justiça e Negócios Interiores, J.J. Seabra e o barão de Pedro Affonso para a construção de um instituto soroterápico, do qual o titular seria o diretor técnico após o fim dos trabalhos em Santos. Entre os demais missivistas destacam-se os médicos Eduardo Lopes, Jayme Silvado e Olympio de Niemeyer.

Correspondência Diversa com Familiares e Amigos

  • BR RJCOC OC-COR-PES-02
  • Dossiê
  • 05/04/1891 - 05/02/1917
  • Parte de Oswaldo Cruz

Cartas e bilhetes enviados ao sogro, o comendador Manuel da Fonseca, aos cinco filhos, aos cunhados Ezequiel Dias e Miuça, ao amigo Egydio Salles Guerra e a João Batista da Costa, referentes principalmente aos seus períodos de viagem à Europa. Merece destaque o documento mais antigo em que seu pai, Bento Gonçalves Cruz, escreve ao comendador Fonseca pedindo a benção para a união de seus filhos Oswaldo e Emília.

Clichês do Trabalho: Entomologia

Contém sete ilustrações feitas pelo titular, com suas respectivas legendas, sobre estruturas de mosquitos.

Cuidados Antes da Operação

  • BR RJCOC OC-PI-TP-27
  • Dossiê
  • 06/06/1891
  • Parte de Oswaldo Cruz

Caderno de aula com anotações referentes a operações, farmácia, partos e clínica médica.

As Condições Hygienicas e o Estado Sanitario da Gávea

  • BR RJCOC OC-PI-TP-23
  • Dossiê
  • 14/06/1894
  • Parte de Oswaldo Cruz

Manuscrito do artigo publicado na revista "Brazil-Medico" em que o autor procura demonstrar que as más condições sanitárias do bairro da Gávea eram motivadas pelo aumento rápido da sua população, sem que os recursos higiênicos tenham aumentado proporcionalmente. O artigo ainda ocupa-se da identificação da origem de tal insalubridade e propõe medidas de saneamento para o referido bairro.

Clinicha Medica (lições de)

Caderno com anotações referentes ao curso ministrado pelo professor Francisco de Castro (Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro). As notas foram colhidas à cabeceira dos doentes e coordenadas sob a forma de aforismos. Referem-se a moléstias de nutrição, moléstias microbianas e parasitárias, intoxicações, moléstias do sangue, moléstias do aparelho circulatório, moléstias do coração, lesões oro-valvulares, moléstia dos brônquios, moléstia dos pulmões e moléstias do aparelho digestivo.

Caderno de Experiências

  • BR RJCOC OC-PI-TP-15
  • Dossiê
  • 1916-1917
  • Parte de Oswaldo Cruz

Caderno no qual Oswaldo Cruz faz anotações sobre experiências realizadas nos anos de 1916 e 1917.

Contribuition à l'étude de la serumtherapie antipesteuse

Trabalho realizado pelo titular enquanto diretor técnico do Instituto de Manguinhos. Em anexo quatro figuras feitas a partir de observações microscópicas e notas esparsas relativas ao estudo da peste, algumas apresentando os seguintes títulos: "septicemia", "vaccina anti-pestosa", "preparo de toxina pestosa por bacteriolyse".

Contribuição para o estudo da curva leucocytaria nas infecções e intoxicações

  • BR RJCOC OC-PI-TP-24
  • Dossiê
  • 18/02/1900
  • Parte de Oswaldo Cruz

Originais manuscritos do artigo que considera aspectos referentes ao mecanismo de defesa do organismo vivo contra o micróbio invasor, indicando os cuidados e procedimentos que devem ser observados para que se realize o estudo da curva leucocitária. Publicado em "Brazil-Medico", v. 14, n. 10, p. 81-83.

Catálogo

Organizado pelo titular em ordem alfabética sobre enfermidades, substâncias e procedimentos, contendo ao lado de cada nome ora a sua definição, ora os procedimentos terapêuticos, ora uma bibliografia correspondente.

Catálogo

Organizado pelo titular, em ordem alfabética, contendo uma lista de enfermidades e suas respectivas terapêuticas.

Bromatologia

Caderno de anotações de Oswaldo Cruz contendo aspectos a serem observados para proceder ao estudo dos alimentos.

O bacilo de Koch. Estudo crítico sobre a These do Dr. José Roxo

Originais manuscritos do estudo crítico considerando a Tese de Doutoramento apresentada por José Gonçalves Roxo à Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. O texto analisa cada capítulo da tese em particular e conclui que o autor obteve êxito em seu empreendimento. Publicado no Annuario Medico Brazileiro, v.7, n.32/38.

Autópsia

  • BR RJCOC OC-PI-TP-08
  • Dossiê
  • 05/08/1905
  • Parte de Oswaldo Cruz

Anotações correspondentes à realização de uma autópsia. Em anexo anotações sobre anatomia indicando limites e características das regiões occipito frontal, temporal, palpebral, superciliar, do nariz, parotidiana e labial.

Correspondência com Vital Brazil

  • BR RJCOC OC-COR-CI-05
  • Dossiê
  • 20/11/1899-21/09/1914
  • Parte de Oswaldo Cruz

Vital Brazil, fundador do Instituto Butantan em São Paulo. Através deste conjunto verificamos o início das pesquisas para a obtenção do soro e da vacina antipestosos nos recém-fundados institutos soroterápicos de Manguinhos e Butantan, cujas trajetórias são, neste momento, bastante parecidas; ambos foram criados durante a mesma crise sanitária e localizados em fazendas fora da área urbana, para evitar contaminação em caso de acidente. Vemos como os dois cientistas foram obrigados a refrear seus ânimos diante da burocracia do Estado, e encontramos neste conjunto o início da discussão a respeito dos diversos processos de preparação do soro antipestoso conhecido então. Através de experiências feitas por Vital Brazil no Butantan, torna-se claro o avanço representado pela produção do produto em Manguinhos, mas cuja dosagem foi estabelecida com mais segurança, o que diminuiu a incidência de acidentes. Esta correspondência registra também o progresso das pesquisas sobre o soro antiofídico realizadas no Instituto Butantan. As datas concentram-se entre 1899 e 1901, mas existe um cartão de 1914 onde o titular envia saudações ao amigo através de seu filho mais velho, Bento.