Visualização de impressão Fechar

Mostrando 38618 resultados

descrição arquivística
Visualização de impressão Ver:

12186 resultados com objetos digitais Mostrar resultados com objetos digitais

Discos

Trata-se de um compacto de vinil, produzido em 1978, pela Assessoria de Relações Públicas (ARP) da Presidência da República com peça de divulgação científica sobre a esquistossomose.
O lado A contém uma peça musical de propaganda que fala sobre o combate à doença alertando os cuidados que devem ser tomados para evitar sua transmissão que se dá por meio das fezes ou água contaminada. Explica detalhadamente o papel crucial do caramujo na cadeia de transmissão, tece comentários sobre a identificação dos sintomas da esquistossomose e a construção de melhorias em saneamento para evitar o contágio. 1: Combate à esquistossomose; 2: Doença do caramujo I; 3: Como evitar a doença. Duração: cerca de 4 minutos
O lado B contém uma introdução idêntica ao do lado A, com explicação detalhada de um médico a respeito da forma como o ser humano é contaminado com a esquistossomose, as medidas de prevenção, a importância da água potável e do saneamento básico nas residências e o apoio necessário da comunidade no controle da doença. 1: Combate à esquistossomose; 2: Schistosoma; 3: Doença do caramujo II. Duração: cerca de 3 min e 30 segundos.

Registro de material publicitário em fita cassete

O material foi produzido por MEDISOM e se trata de um depoimento para Revista Médica Falada. Gravação em fita cassete de material publicitário do medicamento Rimactazida (300mg de rifampicina/150mg de isoniazida) produzido pela Ciba intitulado “O movimento lógico no tratamento da tuberculose” – Quimioterapia da Tuberculose Pulmonar (profs. Drs. Jayme dos Santos Neves e Germano Gerhardt Filho). Primeira associação fixa de RMP+INH; dose única diária de 2 drágeas, possibilidade de tratamento a curto prazo, rápida negativação do escarro e menor custo global de tratamento.

Depoimentos orais do projeto Remanescentes do Massacre de Manguinhos

O projeto foi realizado como parte do pós-doutoramento de Pedro Jurberg, orientado por Laurinda Rosa Maciel, pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão e Preservação do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde, da Casa de Oswaldo Cruz. As entrevistas foram realizadas com personagens que trabalhavam nos laboratórios cujos cientistas foram cassados no episódio conhecido como Massacre de Manguinhos. Tem como objetivo narrar como estes laboratórios sobreviveram ao fato de terem seus principais cientistas fora da instituição, mas que, ainda assim, os herdeiros intelectuais destes mestres seguiram adiante em suas pesquisas.

Depoimentos orais do projeto Pavilhão Nossa Senhora dos Remédios: história e preservação patrimonial

Reúne 10 depoimentos com ex-moradores do Pavilhão Nossa Senhora dos Remédios, que pertenceu à Colônia Juliano Moreira, instituição de internação psiquiátrica localizado em Jacarepagua, Rio de Janeiro. As entrevistas foram realizadas com o objetivo de gerar um acervo audiovisual para exposição e/ou documentário. Nos depoimentos se procurou resgatar a memória comunitária em sua relação com a criação e o desenvolvimento da área urbana da antiga Colônia Juliano Moreira, centrada na história do citado Pavilhão, que era dedicado às pacientes tuberculosas. Foi construído no início da década de 1940 e na década de 1970, passou a ser habitado por trabalhadores e suas famílias, gerando, ao longo de anos, um processo de ocupação desordenado que resultou em sua desocupação pela Fiocruz, que realizou a desapropriação e revitalização no contexto da formação do campus da Mata Atlântica.

Amilar Tavares

Entrevista realizada por Rose Ingrid Goldschmidt e Wanda Hamilton, na Fiocruz (Rio de Janeiro-RJ), nos dias 23 e 27 de novembro de 1987.

Sumário
1ª Sessão: fitas 1 e 2
Origem familiar; formação escolar; o trabalho na casa comercial do pai durante as férias escolares; o teste para ingressar na Fundação Rockefeller em 1940; o trabalho inicial no biotério; a admiração pela eficácia administrativa dos americanos; o trabalho como contador na Rockefeller; o pânico causado entre os funcionários da Rockefeller pelas demissões sem indenização; a autonomia administrativa exigida ao governo Getúlio Vargas pela Rockefeller; o trabalho realizado pela Rockefeller no combate à febre amarela e à malária a pedido do governo brasileiro; a inexistência de legislação trabalhista para os empregados da Rockefeller; a organização do biotério; as facilidades concedidas pelo governo brasileiro à Rockefeller; comentários sobre Francisco Laranja e Joaquim Travassos da Rosa; a disparidade salarial entre a Rockefeller e outras instituições brasileiras de pesquisa; o controle da malária no Nordeste realizado pela Rockefeller; a transferência dos funcionários da Rockefeller para o IOC em 1950; a dificuldade de entrosamento entre antigos funcionários da Rockefeller e do IOC; a auditoria financeira conduzida por Rocha Lagoa durante a gestão de Oswaldo Cruz Filho no IOC.

2ª Sessão: fitas 3, 4 e 5
As dificuldades de relação entre antigos funcionários da Rockefeller e do IOC; o trabalho como chefe do escritório comercial de Manguinhos e a burocracia existente; a autonomia financeira do IOC garantida pelo Regimento de 1962; os inquéritos policial e administrativo; a implantação do ponto obrigatório de frequência durante o governo Jânio Quadros; a transformação jurídico-administrativa do IOC em Fundação Oswaldo Cruz em 1970; a contratação de estagiários como funcionários efetivos; o trabalho como chefe da seção financeira do IOC; a intervenção do diretor Rocha Lagoa no convênios interinstitucionais realizados pelos chefes de divisão do IOC; o convite de Rocha Lagoa para trabalhar no Ministério de Saúde como diretor do Departamento de Pessoal; comentários sobre os diretores do IOC e suas administrações; a gestão de Olympio da Fonseca no IOC; as dificuldades para a obtenção de verbas para a pesquisa; o crescimento da seção administrativa na gestão Olympio da Fonseca; a exoneração do Ministério da Saúde devido a desentendimentos com Rocha Lagoa; a transferência para a Superintendência de Campanhas de Saúde Pública (SUCAM) e o trabalho como diretor da Divisão de Segurança e Informação do Ministério da Saúde; as atividades exercidas na Divisão de Segurança e Informação; o trabalho na Escola Superior de Guerra (ESG) e na Delegacia Federal de Saúde; a aposentadoria compulsória devido a problemas de saúde; o IOC durante a gestão de Rocha Lagoa; o desinteresse pela política; opinião sobre os presidentes da República e o regime militar.

Influências Arquitetônicas - Pavilhão Mourisco

Imagens das influências arquitetônicas ao longo do planeta para a construção do Pavilhão Mourisco - Castelo. Entre as construções que inspiraram o pavilhão se encontram a Sinagoga de Nova York, a Catedral de Sevilha, o Palácio Mouro de Alhambra em Granada e o Observatório Metereológico "Montsouris".

Resultados 1 a 30 de 38618