Visualização de impressão Fechar

Mostrando 7 resultados

descrição arquivística
Tito Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti Massacre de Manguinhos
Visualização de impressão Ver:

Reintegração à Fiocruz

Cartão de identificação, diários oficiais, recortes de revistas, recortes de jornal, ofícios, noticiários de jornais, cartas, requerimentos, diários do Congresso Nacional, folhetos, convites, noticiários de revista, leis, apontamentos, ensaios, listas de cassados de Manguinhos, informativos, telegramas, medidas provisórias, discursos, mensagens por e-mail, solicitações, mensagens por fax, listas de andamentos de processos, diários oficiais da União e fotografias.

Diretor da Casa de Oswaldo Cruz

  • BR RJCOC GA-GI-PP-01
  • Dossiê
  • 11/08/1985 - 07/1989
  • Parte de Paulo Gadelha

Dossiê: Seminário saúde e constituinte; dossiê comissão organizadora da cerimônia de reintegração dos cassados; dossiê visita do presidente da república portuguesa à fundação Oswaldo Cruz; convites; catálogos; provas tipográficas.

Os dez cientistas do Instituto Oswaldo Cruz

Haity Mousstché, Herman Lent, Moacyr Vaz de Andrade, Augusto Cid Mello Perissé, Hugo de Souza Lopes, Sebastião José de Oliveira, Fernando Braga Ubatuba, Tito Arcoverde Cavalcanti de Albuquerque, Massao Goto e Domingos Arthur Machado Filho - Cassados e aposentados pelo regime militar em 1970: relatório de cassação; cartas ao jornalista Carlos Castello Branco do Jornal do Brasil e ao Congresso Nacional; carta de Agostinho da Silva, denominada “Santiago”, referente a sua estada nos laboratórios de Entomologia e Helmintologia do IOC, como também prestando solidariedade aos cassados; discurso do deputado federal Francisco Pinto, do Partido do Movimento Democrático da Bahia, sobre o governo do presidente Emílio Garrastazu Médici e a aplicação dos atos institucionais 5 e 10; folder com dados biográficos dos cientistas e convite para a cerimônia de reintegração dos mesmos a Manguinhos.

Registros sonoros da mesa redonda Massacre de Manguinhos

Depoimentos de sete cientistas de Manguinhos, coletados durante a realização de uma mesa redonda a respeito das vivências e versões de cada um dos entrevistados a respeito do episódio conhecido como "Massacre de Manguinhos". Tal episódio, ocorrido na vigência do regime militar brasileiro na década de 1970, implicou no afastamento e cassação dos direitos políticos destes cientistas do Instituto Oswaldo Cruz (IOC).

Tito Cavalcanti

Sumário
1ª Sessão: fitas 1 e 2
Origem familiar; a escolha da profissão; comentários sobre o estudo da fisiologia e o ensino da medicina em São Paulo nos anos 1920; a participação na Revolução de 1932; os motivos da transferência de São Paulo para o Rio de Janeiro; o ingresso em Manguinhos; o trabalho na Divisão de Higiene; o perfil de Barros Barreto; a chefia de Barros Barreto na Divisão de Higiene e os estudos em medicina do trabalho; as pesquisas desenvolvidas no laboratório de fisiologia; a atuação como secretário de gabinete da gestão Francisco Laranja no IOC; a passagem pelo INPA; o trabalho desenvolvido no CNPq; o regresso ao IOC na gestão Amilcar Vianna Martins; a nomeação para vice-diretor do IOC e a chefia da Divisão de Fisiologia; o período de interinidade na direção do IOC após a exoneração de Amilcar Vianna Martins; a participação na organização da UnB; comentários sobre o desenvolvimento da área de fisiologia no IOC; o trabalho com Álvaro Osório de Almeida na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro; o desenvolvimento e o ensino de fisiologia no Rio de Janeiro e em São Paulo; as atividades docentes no curso de bioquímica do IOC; a importância do Curso de Aplicação do IOC para o desenvolvimento da medicina no Brasil; a atuação como membro do Conselho Deliberativo do CNPq; o inquérito administrativo presidido por Olympio da Fonseca em 1964; o inquérito policial-militar (IPM); a entrevista com o ministro Roberto Campos a respeito da criação de um ministério da ciência; a administração Rocha Lagoa e a cassação; as perspectivas de trabalho após a cassação; comentários sobre Manguinhos após a ditadura militar.

2ª Sessão: fitas 3 e 4
As crises político-administrativas do IOC; a gestão Francisco Laranja e a criação do Conselho Deliberativo; a gestão Antônio Augusto Xavier; a importância da criação de um ministério da ciência para o desenvolvimento científico do país; as divergências pessoais como explicação para a cassação dos pesquisadores em 1970; a ideologia política do grupo de cassados; avaliação do trabalho de pesquisa desenvolvido atualmente na FIOCRUZ; as expectativas quanto à reintegração dos cientistas cassados; perfil de Thales Martins e de Barros Barreto; o papel da Academia Brasileira de Ciências e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) no desenvolvimento científico nacional; a participação na missão científica promovida pela UnB ao Leste europeu; comentários a respeito da visita ao campo de concentração de Auschwitz.

Depoimentos orais do projeto Memória de Manguinhos

Reúne 30 depoimentos que foram coletados com o objetivo de reconstituir a história do Instituto Oswaldo Cruz através da vivência de alguns de seus cientistas, auxiliares e administradores, enfocando questões relativas ao ensino, pesquisa, política institucional e governamental, produção de terapêuticos e o desenvolvimento da ciência. As entrevistas tratam principalmente do período compreendido entre a década de 1930 e o "Massacre de Manguinhos" nos anos 1970. O projeto obteve apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).