Fundo HI - Hildebrando Monteiro Marinho

Área de identificação

Código de referência

BR RJCOC HI

Título

Hildebrando Monteiro Marinho

Data(s)

  • 1913-2006 (Produção)

nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Documentos textuais: 9,8 m
Documentos iconográficos: 5.881 itens (4.798 fotografias, 10 imagens impressas, 165 cartões-postais, 4 desenhos, 1 charge, 5 tiras de cópias-contato com 82 fotogramas, 177 tiras de negativos flexíveis com 668 fotogramas, 131 diapositivos e 22 fotogramas de negativos flexíveis)
Documentos cartográficos: 30 itens (3 mapas e 27 plantas)
Documentos audiovisuais: 7 itens (filmes / 7 títulos)
Documentos sonoros: 51 itens (49 registros de eventos em fita cassete, 1 registro de evento em fita rolo e 1 fita magnética)
Documentos tridimensionais: 16 itens (9 crachás e 7 placas de homenagens)

Área de contextualização

Nome do produtor

(1917-2007)

Biografia

Nasceu em 2 de novembro de 1917, no Rio de Janeiro, filho de Manuel Faustino Vieira Marinho e Ambrozina Monteiro Marinho. Formou-se em 1941 pela Escola de Medicina e Cirurgia do Instituto Hahnemanniano do Brasil, atual Escola de Medicina e Cirurgia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Durante os primeiros anos da graduação frequentou os serviços dos professores Eduardo Rabelo e Motta Maia. Em seguida atuou no Serviço de Clínica Médica do Hospital Miguel Couto, chefiado pelo professor Lourenço Jorge, primeiro como estagiário e, posteriormente, já concursado, como auxiliar acadêmico. Manteve-se neste serviço até o ano de 1945, quando teve início sua atuação profissional. Na qualidade de assistente do professor Luiz Amadeu Capriglione - 5ª cadeira de Clínica Médica, estruturou e desenvolveu a primeira unidade de hematologia da Faculdade Nacional de Medicina (FNM) da Universidade do Brasil, período considerado o mais importante de sua formação profissional, quando se definiu pela hematologia e chefiou, de 1945 a 1954, a Seção de Hematologia da 5ª cadeira, localizada no Hospital Moncorvo Filho. Em 1955, após a morte de Luiz Capriglione, foi incorporado à 3ª cadeira de Clínica Médica da FNM, sob a chefia do professor Luiz Feijó, continuando na direção da Seção de Hematologia até 1958. Nesse ano implantou o Serviço de Hematologia Clínica do Instituto Estadual de Hematologia Arthur Siqueira Cavalcanti, com sede no Hospital Pedro Ernesto. Foi colaborador também da 2ª cadeira de Clínica Médica da FNM, liderada pelo professor Carlos Cruz Lima onde, na condição de pesquisador, procurou estruturar o Centro de Pesquisas Hematológicas da instituição (1964-1967). Em 1969, durante sua gestão como secretário de Saúde do estado da Guanabara (1966-1971), o Serviço de Hematologia foi incorporado à estrutura organizacional do Instituto de Hematologia, que passou a contar com uma nova sede, unindo as áreas de hemoterapia e hematologia clínica que estavam separadas. Por três vezes assumiu a direção do instituto e a chefia do serviço (1959-1983). Ainda na área da saúde estadual exerceu as funções de diretor do Departamento de Assistência Hospitalar (1960-1961), presidente do Conselho Técnico de Saúde (1966-1971) e diretor-presidente da Superintendência de Serviços Médicos (1966-1971). Em 1983 se afastou da instituição para comandar o Serviço de Hematologia - 3ª Enfermaria do Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, onde continuou exercendo suas atividades de pesquisa e ensino. Atuou também como professor e dirigente da Universidade Gama Filho (1969-1993), Fundação Educacional Souza Marques (1975-1981) e Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975-1988). Foi membro da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (1944), da Sociedade Internacional de Hematologia (1948), da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (1950), da Sociedade Internacional de Medicina Interna (1964), do Colégio Brasileiro de Hematologia (1965) e da Academia Nacional de Medicina (1969), entre outras. Em 1971 recebeu o título de benemérito da Assembleia Legislativa do Estado da Guanabara por suas contribuições ao ensino, pesquisa e gestão na área da saúde pública. Morreu em 2 de setembro de 2007, no Rio de Janeiro.

História arquivística

Procedência

Doação de Pedro Eduardo Mesquita de Monteiro Marinho, filho do titular, em 2002.

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Reúne cartas, telegramas, ofícios, memorandos, diplomas, recortes de jornais, fotografias, discursos, relatórios de atividades, comunicações em eventos, informativos, artigos científicos, atas de reuniões, plantas e prospectos, entre outros documentos referentes à vida pessoal e à trajetória profissional do titular como médico, professor e gestor nas áreas de hematologia e hemoterapia.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Grupo Vida Pessoal
Grupo Formação e Administração da Carreira
Grupo Docência e Pesquisa
Grupo Gestão Institucional
Grupo Relação Interinstitucionais e Intergrupos

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Sem restrição.

Condiçoes de reprodução

Sem restrição.

Idioma do material

  • espanhol
  • francês
  • inglês
  • italiano
  • português

Forma de escrita do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Notação anterior

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ponto de acesso - nome

Pontos de acesso de género

Área de controle da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status da descrição

Nível de detalhamento

Datas de criação, revisão, eliminação

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Entidades coletivas, pessoas ou famílias relacionadas

Géneros relacionados

Lugares relacionados