Fundo HS - Hermann Schatzmayr

Área de identificação

Código de referência

BR RJCOC HS

Título

Hermann Schatzmayr

Data(s)

  • 1956 -2010 (Produção)

nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Documentos textuais: 1,40 m
Documentos iconográficos: 262 itens (15 cartões-postais, 161 fotografias e 21 tiras de negativos flexíveis com 76 fotogramas)
Documentos eletrônicos: 12 itens (2 CD-RW e 10 disquetes 1/4)
Documentos tridimensionais: 21 itens (1 bandeja, 1 broche, 3 carimbos, 3 medalhas, 2 pesos de papel, 10 placas e 1 troféu)

Área de contextualização

Nome do produtor

(1936-2010)

Biografia

Nasceu em 11 de maio de 1936 no Rio de Janeiro, filho de Otto Schatzmayr, austríaco radicado no Brasil, e Zulmira Gonçalves. Graduou-se em Medicina Veterinária em 1957, pela Escola Nacional de Veterinária da Universidade Rural, atual Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Após a graduação, ingressou na equipe do professor Paulo de Góes, no Departamento de Virologia da Universidade do Brasil estudando o vírus influenza. Em 1958 realizou o Curso de Especialização em Microbiologia também na Universidade do Brasil. Entre 1960 e 1961 dedicou-se ao estudo do vírus da encefalite do carrapato, na Universidade de Viena, Áustria. Ainda em 1961 começou a trabalhar com o professor Joaquim Travassos da Rosa, diretor do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), e dedicou-se ao estudo da poliomielite e a resposta à vacina oral. Em 1965 casou-se com Ortrud Monika Barth, pesquisadora do IOC. No mesmo ano obteve uma bolsa da Fundação Humboldt para doutorar-se na Universidade de Giessen, Alemanha, onde permaneceu durante um ano. Ao retornar ao Brasil, no período ditatorial, o presidente da Fiocruz, Vinícius da Fonseca, ofereceu-lhe um laboratório para estudar poliomielite, hepatite e rubéola. Chefiou o Departamento de Virologia do IOC por dois períodos: 1987-1990 e 1993-2005. Em abril de 1986 sua equipe conseguiu isolar o tipo 1 do vírus da dengue pela primeira vez no Brasil e nos anos subsequentes foram isolados os tipos 2 e 3, o que colaborou para que a Fiocruz se tornasse centro de referência no assunto. De 1990 a 1992 exerceu a Presidência da Fiocruz a convite do ministro da Saúde Alceni Guerra, que recusou os nomes indicados por meio de processo eleitoral na instituição. Em sua gestão iniciou-se a obra do prédio da Biblioteca de Manguinhos, ocorreram novas contratações, foram firmados convênios internacionais e adquiridos equipamentos para produção de vacinas. Concretizou-se também um plano de saúde para os servidores da instituição. Fundou a Sociedade Brasileira de Virologia. Foi editor-chefe da revista “Virus Reviews and Research” e membro do corpo editorial dos periódicos “Memórias do Instituto Oswaldo Cruz” e “Vaccine” (Londres). Presidiu a Comissão Interna de Biossegurança do IOC (CIBio/IOC) e foi membro da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio). Integrou as Academias Brasileiras de Ciências e de Medicina Veterinária. Recebeu da Sociedade Brasileira de Higiene o título de Honra ao Mérito Nacional de Saúde Pública. Foi assessor da Organização Mundial da Saúde (OMS). Suas últimas pesquisas foram dedicadas à infecção por vírus em animais e humanos. Morreu em 21 de junho de 2010, no Rio de Janeiro.

História arquivística

Procedência

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Reúne agendas, artigos científicos, cadernos de apontamentos, cartas, cartões-postais, cartões de visita, certificados, convites, currículo, diários, diplomas, portarias, relatórios de atividades, diplomas, recortes de jornais e revistas, informativos, entrevistas, livros de protocolo e registro, memorial descritivo, projetos de pesquisa e fotografias, entre outros documentos referentes à vida pessoal e à trajetória profissional do titular como pesquisador, gestor de laboratórios, departamento, comissões e presidente da Fundação Oswaldo Cruz.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Grupo Vida Pessoal
Grupo Formação e Administração da Carreira
Grupo Docência e Pesquisa
Grupo Gestão Institucional
Grupo Relações Interinstitucionais e Intergrupos

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Sem restrição.

Condiçoes de reprodução

Sem restrição.

Idioma do material

  • alemão
  • espanhol
  • francês
  • inglês
  • japonês
  • português
  • russo

Forma de escrita do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Fundo Instituto Oswaldo Cruz
Fundo Presidência

Descrições relacionadas

Área de notas

Notação anterior

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ponto de acesso - nome

Pontos de acesso de género

Área de controle da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status da descrição

Final

nível de detalhamento

Integral

Datas de criação, revisão, eliminação

maio 2016

Idioma(s)

  • português

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Nota do arquivista

Equipe: Francisco dos Santos Lourenço, Glauce Ramos Farias e José Mauro da Conceição Pinto.

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Entidades coletivas, pessoas ou famílias relacionadas

Géneros relacionados

Lugares relacionados