Domingos Sávio do Nascimento Alves

Área de identificação

tipo de entidade

Pessoa

Forma autorizada do nome

Domingos Sávio do Nascimento Alves

Forma(s) paralela(s) de nome

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) de nome

identificadores para entidades coletivas

área de descrição

Datas de existência

1951-

Histórico

Nasceu em Piedade do Rio Grande (MG) em 7 de março de 1951. Filho de José Edgar Alves e Maria Aparecida Nascimento Alves, realizou os primeiros estudos no Seminário Santo Antônio até 1967, quando entrou no Colégio Estadual de Juiz de Fora. Ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora em 1970, como aluno de uma turma experimental de cinco anos. Os primeiros anos da graduação foram marcados por sua dedicação à política ambiental e participação no diretório acadêmico da faculdade como vice-presidente e um dos representantes do conselho universitário. Em 1970, foi preso devido à militância política, tendo seus direitos políticos cassados; foi julgado em 1973, mas absolvido definitivamente somente em 1979 pelo Supremo Tribunal de Justiça. Durante a graduação, participou de atividades literárias e culturais como teatro e cinema; trabalhou como sub editor do jornal da Universidade e jogou no time de futebol de salão da Faculdade de Medicina. Nos últimos anos da graduação, optou pela especialização em neurologia e em 1975 veio para o Rio de Janeiro fazer Residência Médica em Neurologia, no Instituto de Neurologia Deolindo Couto, da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem especialização em Neurologia pela UFRJ e também pela PUC-Rio, onde estudou a síndrome de Parkinson. Tem especialização em Psiquiatria Social e em Saúde Pública, adquiridos em 1983 e 1987, respectivamente, pela ENSP/Fiocruz. Em 1982, foi contratado pela Campanha Nacional de Saúde Mental para assumir a direção do Hospital Jurandir Manfredini, na Colônia Juliano Moreira, e em 1986, foi nomeado Diretor Geral daquela Colônia. Foi convidado, em 1992, para assumir o cargo de Coordenador Nacional de Saúde Mental, pelo Ministério da Saúde, época em que atuou concomitantemente como Conselheiro Suplente do Ministério da Saúde no Conselho Federal de Entorpecentes (COFEN), até 1995. Este Conselho objetivava discutir a questão das drogas e envolvia membros de todos os Ministérios em uma proposta interdisciplinar. Trabalhou como Coordenador da Comissão Organizadora da Segunda Conferência Nacional de Saúde Mental, realizada em 1992, cujas propostas para discussão giravam em torno de dois pontos: mudanças no modelo assistencial e o direito dos pacientes à cidadania. Por motivos de saúde pediu ao Ministério da Saúde sua aposentadoria, em 1997. Entretanto, pouco depois foi convidado a compor uma chapa e participar das eleições para a diretoria do Instituto Franco Basaglia naquele mesmo ano. Em 1999, candidatou-se à presidência do Instituto onde atualmente é voluntário.

Locais

Estado Legal

Funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

Contexto geral

Área de relacionamento

Área de ponto de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ocupações

Área de controle da descrição

Identificador de autoridade arquivística de documentos

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

ISAAR(CPF): norma internacional de registro de autoridade arquivística para entidades coletivas, pessoas e famílias.

Status da descrição

nível de detalhamento

Datas das descrições (criação, revisão e remoção)

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Notas de manutenção