Delir Corrêa Gomes

Área de identificação

Tipo de entidade

Pessoa

Forma autorizada do nome

Delir Corrêa Gomes

Forma(s) paralela(s) de nome

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) do nome

  • Delir Corrêa Gomes Maués da Serra Freire

identificadores para entidades coletivas

Área de descrição

Datas de existência

1938-

História

Delir Corrêa Gomes Maués da Serra Freire nasceu em 04 de setembro de 1938, na cidade do Rio de Janeiro, filha de Antônio Corrêa Gomes e Nadya Pinhel Gomes. Conduiu seus estudos secundários em uma escola da Irmandade das Freiras Servas do Espírito Santo, contando como incentivo e esforço de seus pais. Apesar da insistência de seu pai para que optasse pela medicina, o gosto pela biologia surgiu desde muito cedo, quando ainda frequentava o curso ginasial. A visita ao Instituto Oswaldo Cruz (IOC), em 1961, por convite de uma amiga, e o incentivo do pesquisador Lauro Travassos fizeram com que Delir Corrêa Gomes contrariasse o desejo paterno e se decidisse pelo curso de história natural. Em 1963, começava a sua graduação na Universidade do Estado da Guanabara (UEG), atual UERJ, onde se formou em 1966. Ao iniciar o curso superior, conseguiu um estágio no IOC, tendo como orientadores Lauro Travassos e João Ferreira Teixeira de Freitas, importantes lideranças na Divisão de Zoologia do Instituto. O contato com estes dois pesquisadores de renome fez com que tomasse gosto pela área da helmintologia, a qual dedicaria a maior parte das atividades exercidas ao longo de sua carreira, seja na prática da pesquisa, da docência ou da gerência. Em 1967, já graduada, frequentou o Curso de Aplicação de Manguinhos, ampliando os seus conhecimentos na área biomédica. Quando estagiária no IOC, Delir publicou os resultados de suas primeiras pesquisas nas Atas da Sociedade de Biologia do Rio de Janeiro na revista Memórias do lnstituto Oswaldo Cruz. Entre 1963 e 1968, permaneceu como estagiária no Departamento de Helmintologia. A partir de então, recebeu apoio do CNPq, quando assumiu a função de pesquisadora assistente. Em fins dos anos 1970, foi contratada pela Fiocruz. Apesar das dificuldades financeiras e institucionais no decorrer das décadas de 1970 e 1980, concluiu o Curso de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, na área de parasitologia, da UFRRJ. Concomitantemente, exerceu atividades docentes e cargos administrativos na Fiocruz. Convidada por Teixeira de Freitas, passou a ministrar aulas de entomologia e helmintologia, no Curso de Aplicação do IOC. A partir de então, a atividade docente se fez permanente em sua trajetória, exercendo-a em várias instituições. Entre 1990 e 1994, além do cargo de professora em helmintologia e parasitologia médica, assumiu a coordenação do Curso de Pós-Graduação em Medicina Tropical no IOC/Fiocruz. Dentre os cargos gerenciais, tornou-se responsável, em 1977, pelo Laboratório de Helmintologia; entre 1985 e 1991 assumiu a chefia do departamento, cargo que retomaria a partir de 1997. Entre 1982 e 1989, foi designada curadora da Coleção Helmintológica, embora sua relação com a mesma tenha começado desde muito cedo. Sempre reconhecendo a importância do acervo para as pesquisas na área da helmintologia, Delir Corrêa Gomes teve participação decisiva, em meados dos anos 1970, para que a coleção não fosse destruída mediante a proposta de transferência do acervo para outras instituições. Atualmente, é chefe do Laboratório de Helmintos Parasitos de Vertebrados (IOC).

Locais

Status legal

Funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

Contexto geral

Área de relacionamento

Área de controle da descrição

Identificador do registro de autoridade

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status da descrição

nível de detalhamento

Datas das descrições (criação, revisão e remoção)

Idioma(s)

Escrita(s)

Fontes utilizadas na descrição

Notas de manutenção