Fundo 05 - Casa de Oswaldo Cruz

Área de identificação

Código de referência

BR RJCOC 05

Título

Casa de Oswaldo Cruz

Data(s)

  • 1986-2015 (Produção)

nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

Documentos textuais: 0,14 m
Documentos iconográficos: 51 mil itens (fotografias)
Documentos sonoros: 3.189 itens (776 depoimentos orais e 110 registros de eventos em fitas cassete)
Documentos audiovisuais: 2.480 itens (filmes/640 títulos)

Área de contextualização

Nome do produtor

(1985-)

História administrativa

A Casa de Oswaldo Cruz (COC) foi criada no contexto das transformações político-estruturais realizadas na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) durante a gestão de Sérgio Arouca, pelo ato da Presidência n. 221, de 19 de novembro de 1985, com a missão de coordenar e desenvolver atividades de recuperação da memória e da história referentes à Fiocruz e à saúde no Brasil, estabelecer uma política de preservação documental em âmbito institucional, estabelecer um plano diretor para o melhor aproveitamento do complexo arquitetônico histórico – constituído pelo Pavilhão Mourisco, pela Cavalariça e pelo Prédio do Relógio – e do campus de Manguinhos, além de desenvolver atividades de divulgação científica e cultural. A COC ficou, nesse período, subordinada à Vice-Presidência de Desenvolvimento, e a ela foi incorporado o Museu Oswaldo Cruz. Criaram-se, ainda, o Centro de Documentação e Pesquisa Histórica, o Núcleo de Animação Cultural e o Núcleo de Proteção e Preservação do Patrimônio Histórico e Artístico. Foi transformada em unidade da Fiocruz pelo ato da Presidência n. 56, de 15 de maio de 1987, e ficou sob a responsabilidade de um diretor e um conselho consultivo. Em 16 de agosto de 1989, através do ato da Presidência n. 133, seu regimento interno foi aprovado pelo Conselho Deliberativo da Fiocruz, mantendo em linhas gerais as mesmas atribuições de quando foi criada. A estrutura organizacional consolidada naquela ocasião foi esta: diretor, vice-diretor, administrador, conselho consultivo, conselho interdepartamental, conselho administrativo, congregação e assembleia geral. Como órgãos executivos o regimento apontou os departamentos de Arquivo e Documentação, Pesquisa, Patrimônio Histórico e Artístico, Museu, bem como os núcleos de Promoção Cultural e Editorial. Em 2006 a COC iniciou um processo de reestruturação organizacional que foi finalizado em julho de 2007. Consolidada como unidade técnico-científica, é responsável por ações de produção e disseminação do conhecimento histórico sobre a Fiocruz, a saúde e as ciências biomédicas; de preservação e valorização da memória institucional e dos seus campos de atuação; de divulgação e educação em saúde, ciência e tecnologia; e de ensino, formação e capacitação profissional. Compõem sua estrutura executiva a direção, as vice-diretorias de Pesquisa, Educação e Divulgação Científica, de Informação e Patrimônio Cultural e de Gestão e Desenvolvimento Institucional, além dos núcleos operacionais que executam atividades permanentes de caráter finalístico: Departamento de Pesquisa em História das Ciências e da Saúde, Departamento de Arquivo e Documentação, Departamento de Patrimônio Histórico e Departamento Museu da Vida. Sob a coordenação das vice-diretorias encontram-se o Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde, a Editoria da revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos, o Serviço de Gestão da Informação, o Serviço de Tecnologias da Informação, o Serviço de Biblioteca, o Serviço de Gestão do Trabalho, o Serviço de Planejamento e Orçamento e o Departamento de Administração.

História arquivística

Desde 1995 a instituição classifica os documentos textuais produzidos e acumulados em suas atividades segundo o Código de Classificação de Documentos de Arquivo da Fundação Oswaldo Cruz e o Código de Classificação, Temporalidade e Destinação de Documentos de Arquivo Relativos às Atividades-Meio da Administração Pública. Como grande parte desses documentos ainda se encontra nas fases corrente e intermediária, o fundo apresenta-se composto majoritariamente por documentos iconográficos, sonoros e filmográficos.

Procedência

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Documentos textuais: reúne projetos de pesquisa, formulários e relatórios técnicos, entre outros documentos, referentes aos projetos Organização e ampliação da documentação iconográfica do Museu do Instituto Oswaldo Cruz e Ampliação e organização do acervo iconográfico da Casa de Oswaldo Cruz, desenvolvidos pela instituição com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos.
Documentos iconográficos: reúne fotografias de coberturas de eventos promovidos pela Fiocruz e pela COC – exposições, seminários, mesas-redondas, encontros e comemorações institucionais, além de projetos técnico-científicos realizados pelos departamentos e núcleos, como atividades de restauro e conservação arquitetônica, divulgação científica e projetos de organização, conservação e produção documental.
Documentos sonoros: reúne depoimentos orais no gênero história de vida, de profissionais que desenvolveram suas atividades no âmbito das ciências biomédicas e da saúde pública no Brasil, além de gravações integrais de eventos promovidos pela Fiocruz, como o Congresso Interno, e também pela COC, como os Encontros de História e Saúde.
Documentos filmográficos: reúne documentários produzidos pelo Departamento de Arquivo e Documentação (DAD) abordando temáticas relacionadas à história da instituição e à história das ciências biomédicas e da saúde pública. Inclui também vídeos produzidos e acumulados por outras instituições mediante doações e levantamentos em outros acervos, para execução de projetos e documentários realizados em cooperação com outras instituições.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Seção Direção
Seção Vice-Direção de Pesquisa, Educação e Divulgação Científica
Seção Departamento de Arquivo e Documentação
Seção Departamento Museu da Vida
Seção Departamento de Patrimônio Histórico
Seção Departamento de Pesquisa em História das Ciências e da Saúde

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Sem restrição.

Condiçoes de reprodução

Permitida mediante assinatura do Termo de Compromisso de Uso de Imagens; no caso de itens custodiados por outras instituições, é necessária autorização dos detentores dos direitos patrimoniais ou do responsável pela custódia legal.

Idioma do material

  • espanhol
  • francês
  • inglês
  • português

Forma de escrita do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

ALMEIDA, Anna Beatriz de Sá et al. (Org.). Memória das coleções científicas do Instituto Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz: acervo de depoimentos. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2001.
CASA DE OSWALDO CRUZ. Memória da assistência médica da previdência social no Brasil: catálogo
de depoimentos. Rio de Janeiro: PEC/ENSP, 1989.
FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Casa de Oswaldo Cruz. Memória de Manguinhos: acervo de depoimentos.
Rio de Janeiro: COC, 1991.
FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Casa de Oswaldo Cruz. Memória da poliomielite: acervo de
depoimentos orais. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005.
FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Casa de Oswaldo Cruz. Memória da tuberculose: acervo de
depoimentos. Rio de Janeiro: Fiocruz, Casa de Oswaldo Cruz; Fundação Nacional de Saúde,
Coordenação Nacional de Pneumologia Sanitária, Centro de Referência Prof. Hélio Fraga, 1993.
FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Casa de Oswaldo Cruz. Departamento de Arquivo e
Documentação. Catálogo do acervo de documentos filmográficos da Casa de Oswaldo Cruz. Rio de
Janeiro: Fiocruz, 2008.
FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Casa de Oswaldo Cruz. Departamento de Arquivo e
Documentação. Fundo Casa de Oswaldo Cruz: listagem de documentos iconográficos. Rio de Janeiro:
Fiocruz, 2008.
FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Casa de Oswaldo Cruz. Departamento de Arquivo e Documentação.
Inventário geral do acervo sonoro da Casa de Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2009.
MONTENEGRO, Antonio Torres; FERNANDES, Tania (Org.). Memórias revisitadas: o Instituto Aggeu
Magalhães na vida de seus personagens. Rio de Janeiro: Fiocruz, Casa de Oswaldo Cruz; Recife:
Fiocruz, Instituto Aggeu Magalhães, 1997.
PEREIRA NETO, André de Faria (Org.). Ética e institucionalização da profissão médica (1927/1957): repertório de fontes documentais para uma história da criação dos conselhos de medicina. Rio de Janeiro: Fiocruz, Casa de Oswaldo Cruz; Cremerj, 1997.

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Nota

Stapleton, Darwin H. The past and the future of research in the history of science: medicine and technology at the Rockefeller Archive Center. Hist. cienc. saude-Manguinhos, Feb 1999, vol.5, no.3, p.716-732.

Notação anterior

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ponto de acesso - nome

Pontos de acesso de género

Área de controle da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status da descrição

Preliminar

Nível de detalhamento

Datas de criação, revisão, eliminação

Idioma(s)

Fontes utilizadas na descrição

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Entidades coletivas, pessoas ou famílias relacionadas

Géneros relacionados

Lugares relacionados